Menu
LIMIT ACADEMIA
sábado, 19 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Carvoeiros protestam contra rigor ambiental em MS

9 Ago 2007 - 10h57

Donos de carvoarias de várias cidades de Mato Grosso do Sul protestam nesta manhã na Avenida Mato Grosso, na entrada do Parque dos Poderes, em Campo Grande, contra as dificuldades impostas para conseguir a autorização para funcionamento das carvoarias. Eles pararam as carretas na avenida e tentaram realizar uma carreata na Capital.

Oldemar Rodrigues, dono de uma carvoaria no Estado, afirmou que a lei prevê cerca de 40 dias para a homologação do processo de registro da carvoaria, entretanto, em alguns casos, eles precisam esperar mais de um ano para obter a autorização.

No Estado, são cerca de 700 carvoarias e somente 150 são registradas. As outras, segundo Oldemar Rodrigues, ainda tentam obter a autorização para funcionamento. Eles também protestam contra ações como a da PMA (Polícia Militar Ambiental) que fechou pelo menos 105 carvoarias neste ano em Mato Grosso do Sul.

Participam do protesto carvoeiros das cidades de Três Lagoas, Inocência, Paranaíba, Água Clara, Selviria, Coxim, Aparecida do Taboado, Nova Andradina e outras. Eles pretendem entregar um documento ao governador André Puccinelli (PMDB) e para a Semac (Secretaria Estadual de Meio Ambiente, das Cidades, do Planejamento, da Indústria, do Comércio e do Turismo) contendo as reivindicações da categoria.

Segundo Oldemar, a categoria dos carvoeiros é produtiva e gera muitos impostos para o Estado. “Não somos bandidos”, afirmou. Ele explicou ainda que não sabe por quais motivos os produtores rurais donos de carvoarias estão com tantos processos na Justiça.

Eles reivindicam que o prazo de 40 dias para autorização de funcionamento das carvoarias seja cumprido e que seja implantada uma lei que regularize a atividade no Estado. As carvoarias, segundo Oldemar, acumulam cerca de 30 mil funcionários e geram 4 milhões de impostos ao Estado por mês.

Os donos das carvoarias reclamam ainda que a mídia está denegrindo a imagem dos produtores. Eles explicam que o carvão vegetal é produzido através de materiais perdidos, sem prejudicar o meio-ambiente.

Policiais militares da Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises) acompanham o manifesto. Um representante do Governo também está no local para negociar com os produtores.

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo Marciano morre aos 67 anos, vítima de enfarto
CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado