Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 30 de novembro de 2020
SADER_FULL
Busca
JUNINHO DENTISTA NOVO
Dourados

Indígenas protestam e ameaçam fechar MS-156

14 Fev 2014 - 10h35Por Dourados Agora

Índios das aldeias de Dourados protestaram ontem em frente à Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). A comunidade promete onda de bloqueios na MS-156, caso uma providência não seja tomada pela Sesai.

As lideranças indígenas denunciam a crise na Saúde, que atinge tanto pacientes quanto os servidores que sofrem sem material para atendimento.

Esta semana, os funcionários foram obrigados a desativar a sala de vacinação da Unidade Básica de Saúde (UBS) da Aldeia Jaguapiru devido à falta de estrutura.

De acordo com o vice-cacique Laucídio Ribeiro Flores, terena da Aldeia Jaguapiru, a comunidade sofre com o sucateamento dos veículos da Saúde, falta de material para os servidores, atraso em salário, entre outros problemas crônicos da reserva.

Segundo ele, em relação à sala de vacinação desativada, a medida foi tomada porque não havia material básico, como agulhas, luvas ou seringas, no prédio. Na Casa de Apoio Indígena (Casai) 10 dos 29 leitos foram desativados devido à falta de manutenção na estrutura, segundo o vice-cacique.

Ele diz que não há alimentos disponíveis para os pacientes da Casa e que os servidores estão mantendo o serviço com o próprio salário. “Se não é a vaquinha dos funcionários, os pacientes ficam sem alimentação. Esta semana eu estive no local e vou encaminhar relatório para o Ministério Público Federal”, disse.

De acordo com Ribeiro, a Casai enfrenta problemas como a falta de materiais de limpeza, higiene pessoal para os pacientes, roupas de cama, banheiros danificados, e no abastecimento de alimentos, que não é suficiente para atender toda a demanda durante todo o mês.

Em alguns quartos, falta iluminação e ventilação, o que também estaria castigando os doentes. “Todas estas situações impedem o funcionamento adequado da casa e chegou a um ponto em que o atendimento ficou inviável em alguns dos leitos”, disse.

Com a desativação dos leitos, a estrutura terá menos vagas para atender os pacientes indígenas que chegam da região.

São homens, mulheres, crianças e idosos que saem das aldeias da região para serem atendidos em tratamentos ambulatoriais em hospitais de Dourados. “As dificuldades para os indígenas são muitas.

Vão desde o choque de sair da sua aldeia para receber atendimento médico em outro município, até o fato de não ser tratado com estrutura adequada na Casai.

As denúncias vão desde a falta de alimentação, até o transporte, que é demorado. Muitas vezes o índio sai da consulta às 9h, mas devido à falta de veículos disponíveis, é buscado lá pelas 14h”, denuncia o presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena, Fernando de Souza.

Conforme ele, há anos a comunidade indígena protesta contra a situação precária em que se encontra a Saúde. “São postos de saúde sem médicos, sem medicamentos e material básico para atender a população.

Os veículos da Saúde estão sucateados. Eles estão no pátio da Sesai parados, quando deveriam estar nas aldeias, ajudando a salvar

Deixe seu Comentário

Leia Também

CNH EM 2021
Confira as 9 multas que não vão mais gerar pontos na CNH em 2021
EMPREGO E RENDA
Cerca de 5 mil indígenas de MS são contratados por empresas de SC e RS para a colheita da maçã
MIRANDA - MS - PROJETO SALOBRA
Mais uma parceria CRAS e Projeto Salobra, em Miranda
SEGURANÇA NO FIM DE ANO
Segurança no Estado durante as festas de fim de ano terá mais de 2 mil policiais nas ruas em MS
NOTA MS PREMIADA
SERÁ QUE FOI VOCÊ: Mais de R$ 640 mil ainda não foram resgatados do Nota MS Premiada
Política
Estado de MS destina novos equipamentos de borrifação aos municípios no combate ao Aedes Aegypti
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS entrega veículos para potencializar produção de erva-mate na faixa de fronteira
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em nova parceria, Estado e bancada federal entregam unidades de resgate para 05 cidades de MS
ALERTA DE SEGURANÇA
Defesa Civil emite alerta de chuvas intensas e rajadas de ventos de até 100 km/h
NAVIRAÍ E TODO MS DE LUTO
Morre deputado estadual Onevan de Matos