Menu
SADER_FULL
sábado, 24 de outubro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Zeca destaca investimento do governo Lula na piscicultura de MS

18 Jun 2010 - 13h00Por Fátima News com Assessoria

O investimento pesado do governo Lula na criação de pescado em cultivo já reflete positivamente na economia, comentou o pré-candidato a governador Zeca do PT, ao acompanhar o ministro da Pesca, Altemir Gregolim, em agenda institucional na região da Grande Dourados. Zeca destacou, entretanto, o benefício maior da política nacional para a pesca, que é a diminuição da pressão sobre os estoques pesqueiros dos rios e oceanos a partir do incentivo à criação em cativeiro.

 

 

“A criação em cativeiro tem aumentado substancialmente, com isso diminui a captura de peixes nos rios, possibilitando a recuperação dos cardumes”, ponderou. “E a piscicultura é, hoje, uma excelente alternativa de renda para o pequeno produtor rural. Eu mesmo sou um desses pequenos piscicultores. Para se ter uma ideia, o filé do pintado é vendido por 17 euros [cerca de R$ 37] no mercado europeu”, afirmou.

 

 

Zeca recepcionou o ministro Altemir Gregolim no aeroporto de Dourados e o acompanha durante toda a agenda pela manhã, que prevê atividades em três cidades da região. Em Dourados, o ministro lança o entreposto de pescado e o Plano de Fortalecimento da Cadeia do Pescado no território da Grande Dourados. Em Itaporã, reúne-se com pescadores e piscicultores e em Dois Irmãos do Buriti, também lança o entreposto de pescado.

 

 

O Plano

 

 

O Plano de Fortalecimento da Cadeia Produtiva do Pescado da Grande Dourados prevê a aplicação de R$ 24,5 milhões, a maioria oriunda dos Ministérios da Agricultura e Pecuária e da Pesca. Outros R$ 10 milhões ainda precisam ser aportados – através de emendas parlamentares – e R$ 1,5 milhão são contrapartida dos produtores. O programa deve ser implantado em três anos, pretende gerar 4 mil empregos diretos em 12 municípios da região.

 

 

A piscicultura ganhou impulso a partir da criação da Seap (Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca), depois transformada em Ministério. Zeca lembrou que o presidente Lula foi criticado ao criar o Ministério da Pesca, medida que hoje se revelou um instrumento decisivo para o desenvolvimento da pesca e da criação de pescado em cultivo, o que diversifica a base econômica e coloca o Brasil em situação de competitividade no mercado internacional do produto.

 

 

Durante o governo Zeca (1999-2006), a política para o setor tinha duas diretrizes: incentivar a criação de pescado em cultivo e restringir a pesca predatória e a pressão sobre os cardumes dos rios, sobretudo da bacia pantaneira. A lei da pesca proibia o uso de petrechos considerados predadores, como joão-bobo e anzol de galho. O atual governador encaminhou outra lei à Assembléia, que foi aprovada, e é considerada predatória porque libera o uso de petrechos e incentiva a dizimação dos cardumes.

 

 

Foi durante o governo Zeca que se instalaram em Mato Grosso do Sul empresas gigantes do setor, como o Frigorífico Mar & Terra, de Itaporã. Em 2007, este frigorífico exportou 201 toneladas de filés de tilápia e pintado para os Estados Unidos e Europa, outras 505 toneladas de peixes frescos ou processados foram destinadas ao mercado interno (sobretudo Rio de Janeiro e São Paulo). Os dados são da SFA (Superintendência Federal de Agricultura).

 

 

Em 2005, um ano antes de findar o governo Zeca, Mato Grosso do Sul produzia cerca de 8 mil toneladas de pescado em cativeiro ao ano. Das fazendas de piscicultura do Estado saíram 68% do total de filés de tilápia e pintado exportadas pelo Brasil naquele ano, o que demonstra a robustez da atividade e a vasta possibilidade de expansão.

 

 

Zeca está convencido de que a piscicultura pode ser uma fonte de renda primordial para os pequenos produtores rurais, como foi o frango em épocas passadas. A partir da criação em cooperativas, conveniadas com frigoríficos como o Mar & Terra, e recebendo assistência técnica do governo do Estado, a piscicultura tem o potencial de mudar a realidade de muitos assentamentos e pequenas propriedades, ponderou o pré-candidato.

 

 

Contatos

 

 

Além de acompanhar o ministro Altemir Gregolim, Zeca aproveitou a ida a Dourados para manter contatos. Visitou o jornal O Progresso, um dos mais antigos do Estado, e conversou com a diretora Adiles Torres e com os jornalistas. Percorreu um trecho a pé, pelo centro da cidade, sendo bastante assediado pelos populares. Zeca prossegue em companhia do ministro até o fim do dia, participando de outros atos institucionais. 

 

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SIM A VIDA
Brasil se une a Egito, Indonésia, Uganda, Hungria e EUA em declaração contra o aborto
Invasão em residência acaba morador morto por tiro acidental TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem mata o próprio irmão ao atirar em invasor de residência
GUERRA DA VACINA
Bolsonaro diz que não comprará vacina chinesa, mesmo se aprovada pela Anvisa
Motorista da carreta diz que ainda tentou desviar, mas não conseguiu DOENÇA DO SÉCULO
Menor pega carro escondido, joga contra carreta e morre na hora
BRASIL - 155.403 MORTES
Covid-19: Brasil tem 24.818 novos casos em 24 horas
AJUDA
Caixa Econômica paga auxílio emergencial para 5,2 milhões de beneficiários
CORONAVIRUS
Morre voluntário brasileiro que participava de testes da vacina de Oxford
MORTE SUBITA
Idoso morre em voo de Cuiabá para SP; avião faz pouso de emergência
BRASIL - 154.176 MORTES
Covid-19: Brasil tem mais 271 óbitos e 15.383 novos casos em 24h
TRAGÉDIA NA CIDADE
Acidente entre trem e e micro-ônibus deixa uma mulher morta e feridos