Menu
SADER_FULL
terça, 25 de janeiro de 2022
Busca
Brasil

Vendas no comércio crescem 3,4% em outubro no Estado

16 Dez 2009 - 07h59Por Diário MS
A PMC (Pesquisa Mensal do Comércio), divulgada ontem pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), aponta um aumento de 3,4% nas vendas do comércio varejista de Mato Grosso do Sul em outubro deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. Já no âmbito nacional, o aumento nas vendas do comércio brasileiro foi de 8,4%. O setor de hipermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumos lidera o ranking de vendas, com reação de 12,2%. Artigos de uso pessoal e doméstico tiveram aumento de 9,1% com relação ao ano passado.
A Pesquisa Mensal de Comércio tem como objetivo produzir indicadores que permitam acompanhar a evolução conjuntural do comércio varejista e de seus principais segmentos.
A avaliação por setor é feita com base nos dados nacionais. O segmento de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com variação de 12,2% no volume de vendas, foi responsável pela principal contribuição à taxa global do varejo. Esse resultado, acima da média, se justifica pelo aumento do poder de compra da população, decorrente do crescimento da massa de rendimento real habitual dos ocupados, bem como pela estabilização dos preços do setor.
O segmento de Outros artigos de uso pessoal e doméstico – que engloba segmentos como lojas de departamentos, ótica, joalheria, artigos esportivos e brinquedos com variação de 9,1% no volume de vendas em relação a outubro de 2008, exerceu o segundo maior impacto na formação da taxa do varejo. Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria teve um incremento nas vendas de 11,3%, seguido por móveis e eletrodomésticos (3,5%) e tecidos, vestuário e calçados (3,9%). A lista inclui, ainda, equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação, com 6,7% de aumento; livros, jornais, revistas e papelaria, com 13,3% e combustíveis e lubrificantes, que tiveram aumento nas vendas de 0,6% com relação a outubro do ano passado.

DOURADOS

Em Dourados, as vendas no comércio varejista neste final de ainda estão tímidas, segundo avaliação das entidades do setor. Segundo o presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), Jorge Luiz de Souza, as vendas ainda estão longe do esperado e a expectativa é de aumento no movimento nos próximos dias. Desde o dia 9 de dezembro, o comércio no centro e nos bairros já está funcionando em horário especial, até 22h. “A partir de hoje [ontem] o governo do Estado e prefeituras devem começar a liberar o 13º salário e, com isto, esperamos uma alavancada nas vendas”, disse ele.
O presidente do Sindicom (Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Dourados), Walter Castro, confirma a fragilidade das vendas nos últimos dias. “A partir do dia 18 [sexta-feira] deve ficar melhor, principalmente nos dias bem próximos ao Natal”, argumentou.
Segundo os lojistas, a proximidade com o Paraguai atrapalha as vendas, principalmente por causa do dólar baixo. “É uma briga antiga”, diz Jorge de Souza.
Já no shopping Avenida Center, segundo o gerente comercial Robson Braga Junior, as vendas têm sido ‘excelentes’ na primeira quinzena de dezembro. Segundo ele, o volume de vendas já é 25% maior em comparação ao ano passado. “Tem superado nossas expectativas”, comemorou.
Segundo ele, vários fatores favorecem as vendas e atraem os consumidores ao shopping – entre eles, a grande opção de produtos à disposição do público, a decoração natalina e também a campanha de Natal, que irá sortear duas motos.
 

Leia Também

ESTUPRO DE VUNERALVEL
Mãe vê partes íntimas vermelha, pergunta e filha de 2 anos aponta paro o tio
ACASALAMENTO DE COBRAS
Casal sucuri acasalando em rio assusta e impressiona turistas; veja vídeo
MEIO AMBIENTE
O número médio anual de relâmpagos do país aumentará para 100 milhões
COVID NO BRASIL
Em 24 horas, Brasil registrou mais 135.080 casos e 296 mortes por covid-19
Fábrica de placas solares  ENERGIA SOLAR
Brasil atinge 1 milhão de consumidores com geração própria de energia solar
BRASIL 622.205 MORTES
Com recorde de 204.854 novos casos, Brasil registra 350 óbitos em 24 horas
ALARMANTE
Brasil bate recorde de casos diários de covid-19 com 204,8 mil
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab ainda tem 916 vagas para indígenas trabalharem nas lavouras de maçãs em SC e RS
BAIXA RENDA
Auxílio Gás: governo libera o pagamento no valor de R$ 52
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil tem um aumento e registra 351 mortes em 24 horas