Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 30 de outubro de 2020
SADER_FULL
Busca
CIA DO BICHO
Brasil

Trabalhadores de carvoarias quer negociar reajuste salarial

20 Jul 2004 - 13h17
 

Os trabalhadores das carvoarias e indústria extrativa de Mato Grosso do Sul, que estão há 6 anos sem negociação do acordo coletivo de trabalho, vão tentar reabrir o processo de negociação com o patronato do setor, representado pela Fiems (Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul”. De acordo com Marcos Vinício Marin, presidente do Sitiemc/MS (Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores nas Indústrias Extrativas, Mineração, Madeiras e Carvão Vegetal de Mato Grosso Sul), o segmento é um dos que mais tem problemas de violação da legislação trabalhista, péssimas condições de trabalho, exploração do trabalho infantil e até trabalho escravo e encontrava-se sem representação, pois o sindicato da categoria encontrava-se desarticulado.

Conforme Marin, a entidade ficou muito tempo fechada, sem direção e “agora estamos reconstruindo a nossa organização sindical, elegemos uma nova diretoria e queremos reabrir o processo de negociação”. Ele informa também que o sindicato está em franco processo de reorganização, realizando campanha de filiação e organizando os trabalhadores da indústria extrativa de Mato Grosso do Sul. “Queremos respeito à legislação trabalhista, com melhores salários e condições de trabalho. Os carvoeiros têm seus direitos. O que é preciso é mais fiscalização para que a lei seja respeitada e um novo acordo coletivo de trabalho.”

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA AINDA NÃO ACABOU
Pandemia avança e MS registra 555 novos casos de Coronavírus em apenas 24h
INCÓGNITA
Governo ainda não definiu como será o 13º de quem teve corte salarial
ANTICORPOS
Bebê nasce com anticorpos contra covid-19
Vítima contou violência sexual para a tia ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Idoso é denunciado por estuprar filha de amigos e a enteada
FENÔMENO DA NATUREZA
Evento raro: Lua Azul poderá ser vista no Dia das Bruxas
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa deposita auxílio emergencial nesta 5ª feira para nascidos em novembro
FOI MAL
Bolsonaro recua e revoga decreto que facilita privatização dos postos do SUS
90% RECUPERADOS
Brasil tem 158,4 mil mortes por covid-19 desde início da pandemia
ASSEDIO SEXUAL
Dono de loja é preso por estuprar jovem na entrevista de emprego
100 PAGAMENTOS
Mais de 17 milhões devem ficar sem todas as parcelas do auxílio