Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 28 de setembro de 2021
Busca
Brasil

Temperatura na Estação ficou abaixo da média em 2009

12 Jan 2010 - 06h55Por Ministério da Ciência e da Tecnologia

As temperaturas médias anuais do ar na Estação Antártica Brasileira têm diminuído em torno de -0,6ºC por década se considerados os últimos 14 anos.

A tendência de queda, registrada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCT), pode ser constatada, por exemplo, nos anos de 2007 e 2009, quando o inverno rigoroso congelou os dois lagos de água doce que abastecem a Estação.

Em 1995, 2007 e 2009, a extensão do gelo que cobre a Baía do Almirantado no inverno atingiu seu nível máximo.

Desde 1986, quando iniciaram as coletas de dados na Estação, com exceção de 1987, as temperaturas mais baixas nos meses de inverno (junho-julho-agosto) ocorreram nos últimos 14 anos. Em 1995, por exemplo, a média no inverno foi de -10,3ºC.

Em 2007 e 2009, -8,5ºC.  “Ao longo de 2009, as temperaturas ficaram abaixo da média, com exceção de janeiro e março.

A temperatura mínima absoluta, –25,6ºC, ocorreu em 5 de agosto, sendo que há 18 anos a mínima em um mês de agosto não caía abaixo dos -25ºC”, diz o pesquisador Alberto Setzer, do Inpe.

É preciso observar que o clima nesta região apresenta grande variabilidade interanual, com alternância entre anos mais quentes e frios.

Devido a estas significativas variações, que na média chegam a cerca de 3ºC nas médias entre cada ano, é difícil fazer previsões de temperaturas mesmo para o ano próximo. 

“Se consideradas as médias anuais dos últimos 65 anos na região, houve aquecimento médio de +0,23ºC por década.

Porém, para os últimos 29 anos, que de um ponto de vista prático configuram os 30 anos convencionais de uma climatologia padrão, os dados médios mostram estabilidade, portanto sem indicação de aquecimento do clima”, conclui o pesquisador do Inpe sobre a temperatura na Estação Antártica Comandante Ferraz.

Inpe na Antártica
Ao lado de outras instituições nacionais, o Inpe realiza pesquisas na Antártica há mais de 25 anos. Seus estudos na região enfocam a dinâmica da atmosfera, a camada de ozônio, meteorologia, aquecimento global, gases do efeito estufa, a radiação ultravioleta, a relação sol-atmosfera, o transporte de poluição, oceanografia e interação oceano-atmosfera.

O projeto de monitoramento meteorológico da região da Estação Comandante Ferraz do Inpe tem assegurado a continuidade dos registros meteorológicos do Programa Antártico Brasileiro (Proantar), cujas operações são coordenadas pela Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (Secirm).

Este projeto consiste na coleta regular de dados meteorológicos, de imagens de satélites e na geração de produtos de previsão numérica de tempo. Estas informações são analisadas para identificar variações climáticas na região, bem como a relação das condições antárticas com o sul e sudeste do Brasil

Leia Também

PICTURE SEO E SEUS BENEFÍCIOS
Os benefícios de SEO para comércio eletrônico
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mãe entra na sala de casa e flagra filha de 13 anos fazendo sexo oral no padrasto bombeiro
LIÇÕES DA BÍBLIA
O chamado de Abraão
CARRO DESGOVERNADO
Aluno de 13 anos é atropelado e prensado contra muro de colégio por carro desgovernado
SOB INVESTIGAÇÃO
Amigos saem para pescar e encontram cadáver boiando em rio
DESASTRE AÉREO
Diretor da UPA que sofreu acidente aéreo no Pantanal morre em hospital
COVID-19
Covid-19: Brasil tem 15,7 mil novos casos e 537 mortes em 24 horas
+ AUMENTO
Gasolina sobe pela 8ª semana seguida nos postos, aponta ANP
PAN AMERICANO JUNIOR
Atleta de MS carregará as cores do Brasil no vôlei de praia nos Jogos Pan-Americanos Júnior
LIÇÕES DA BÍBLIA
Prefácio de Deuteronômio