Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 21 de setembro de 2021
Busca
Brasil

Técnico rival chama Love e Adriano de gordos e esquenta duelo

19 Mai 2010 - 14h23Por Lancepress
Esquentou de vez a decisão entre Flamengo e Universidad de Chile, na quinta-feira, às 22h15, no estádio Santa Laura, em Santiago. Segundo o site do jornal chileno "La Cuarta", o técnico do time chileno, Gerardo Pelusso, chamou os atacantes Adriano e Vagner Love de gordos.

"Esses dois gordos que jogam lá, quanto mais longe os deixarmos, mais complicado será para eles chegarem ao nosso gol", disse Pelusso sobre o ataque flamenguista.

O comandante da equipe chilena também criticou a defesa rubro-negra e elogiou apenas os laterais Juan e Léo Moura. "Eles estão sempre indo ao ataque e temos de impedi-los. Atrás, já sabemos que são um desastre", finalizou.

As frases de Pelusso não foram ditas para a imprensa, mas sim captadas por uma TV chilena no momento em que o treinador dava instruções aos seus atletas.

O time chileno venceu o jogo de ida das quartas de final, no Maracanã, por 3 a 2, e pode até perder por 1 a 0 ou 2 a 1 amanhã que fica com a vaga para as semifinais. Os dois times já haviam se enfrentado na primeira fase duas vezes, com uma vitória do time chileno e um empate.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LUTO NA TV
Ator Luis Gustavo morre aos 87 anos, vítima de câncer
EM DECLINIO
Covid-19: Brasil registra 21,2 milhões de casos e 590,7 mil mortes
TSUNAMI NO BRASIL?
Brasil pode ser atingido por tsunami; entenda
SERPENTE
Rapaz de 18 anos é atacado por jararaca durante pescaria
TRIBUNAL DO CRIME
Traficantes enterram mulher viva para vingar denúncia
TEMPESTADE
Temporal derruba árvore sobre carros e deixa bairros no escuro
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: ministério registra 34,4 mil casos e 643 mortes em 24 horas
COMOÇÃO E REVOLTA
Menina de 5 anos é morta com tiro na cabeça enquanto caminhava para comprar lanche
CEF de Fátima do Sul OPORTUNIDADE
Caixa abre concurso com salários de mais de R$ 3 mil; confira
QUASE 600 MIL MORTES
Covid-19: mortes sobem para 588,5 mil e casos, para 21,03 milhões