Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 21 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Suposto esquema comandado por sul-mato-grossenses é desmantelado em Campinas

20 Mai 2011 - 14h59Por Midia Max News

Dois sul-mato-grossenses conhecidos no cenário político de MS, Aurélio Cance Júnior e Ricardo Cândia, foram parar na cadeia nesta madrugada de sexta-feira (20) em Campinas (SP) acusados de envolvimento num suposto esquema de fraudes.

Aurélio, ex-diretor presidente da Sanesul, é irmão do atual superintendente de Gestão da Informação do Governo Puccinelli, André Luiz Cance.

Além do irmão no alto escalão de André Puccinelli, Cance tem outros vínculos com o PMDB sul-mato-grossense. Foi vereador em Campo Grande pelo então MDB, no final dos anos 70, candidato em diversas eleições, e diretor da Sanesul.

Após ser diretor da Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul, Aurélio Cance Júnior, era diretor técnico da Sanasa, uma espécie de 'sanesul' da prefeitura de Campinas. Ele chegou num camburão hoje na Corregedoria da Polícia Civil, no Centro de Campinas, e negou as acusações.

Cance está envolvido em contratos fraudulentos da Senasa - Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento de Campinas, segundo a Corregedoria da Policia Civil. Ricardo Chimirri Cândia é ex-prefeito de Corumbá. Na prisão, a polícia apreendeu R$ 30 mil no porta-malas do carro dele

Os dois supostamente fazem parte da chamada “Republica de Mato Grosso”, como a imprensa de Campinas chamou o grupo de sul-mato-grossenses investigados na prefeitura do município paulista.

A administração de Hélio de Oliveira Santos (PDT), que é corumbaense, colocou alguns cargos da prefeitura de Campinas nas mãos da turma da "Republica": Francisco de Lagos, Clodoaldo Marques (irmão do ex-secretário de Governo Raufi Marques), Luis Landes da Silva Pereira, Ricardo Cândia, Ermélio Silva e Aurélio Cance Junior.

Francisco de Lagos, que foi secretário de Cultura em Campo Grande, na gestão de Lúdio Coelho e presidente da Fundesporte no governo Pedro Pedrossian, exercia o cargo de secretário de Comunicação em Campinas. Ele é tido como foragido.

A Prefeitura de Campinas disse que não vai se pronunciar sobre o caso por enquanto.

Presos até agora

Aurélio Cance Jr. (Diretor da Sanasa)
Ricardo Chimirri Cândia (Ex-diretor de Planejamento da Prefeitura)
Gregório Wanderley Cerveira (Empresário)
João Thomaz Pereira Jr. (Empresário)
João Carlos Gutierrez (Empresário)
Alfredo Ferreira Antunes (Empresário)
Augusto Ribeiro Antunes (Empresário)
Marcelo Figueiredo (Empresário)
Luiz Arnaldo Pereira Mayer (Empresário)
Pedro Luiz Ibrahin Hallack (Empresário)
Valdir Carlos Boscato (Empresário)
Dalton dos Santos Avancini (Empresário)

Considerados foragidos

Demétrio Vilagra (Vice-prefeito de Campinas)
Carlos Henrique Pinto (Secretário de Segurança de Campinas)
Francisco de Lagos (Secretário de Comunicação de Campinas)
Ivan Goretti de Deus (Promotor de Eventos)
Maurício de Paulo Manduca (Lobista)
Emerson Geraldo de Oliveira (Lobista)
José Carlos Cepera (Empresário)
Gabriel Ibrahin Gutierrez (Empresário)

Cronograma do caso

17 de setembro de 2010 - O Gaeco e a Corregedoria da Polícia Civil desmontam um esquema de fraudes em licitação. Oito pessoas foram presas entre elas o empresário paulistano José Carlos Cepera e os lobistas campineiros, Maurício de Paulo Manduca e Emerson Geraldo de Oliveira. O esquema atingiu 11 prefeituras, incluindo a Sanasa em Campinas. As apurações apontaram um prejuízo de R$ 615,7 milhões.

23 de setembro de 2010 - Um computador do prédio do Ministério Público que continha informações sobre as investigações de fraudes nas licitações é furtado durante a madrugada.

30 de setembro de 2010 - A primeira análise feita pelas sindicâncias abertas pela Prefeitura para investigar o caso não apontam irregularidades.

18 de outubro de 2010 - A sindicância aberta pela Sanasa também não identificou irregularidades nos contratos com as empresas de Cepera.

19 de outubro de 2010 - A Sanasa contrata por R$ 360 mil o escritório de advocacia Oliveira Lima, Hungria Dall'Acqua & Furrier para defender a empresa. Oliveira Lima já atuou como advogado do ex-minitros da Casa Civil, José Dirceu e do médico Roger Abdelmassih.

28 de outubro de 2010 - O presidente da Sanasa Lauro Péricles Gonçalves presta depoimento na CPI. O diretor técnico da empresa, Aurélio Cance Júnior, esteve no depoimento e afirmou que a Sanasa não iria romper os contratos com as empresas denunciadas e abriria novos processo de licitação ao término das prestações de serviço. Cance afirma conhecer Cepera.

08 de dezembro de 2010 - Um policial federal envolvido nas investigações de fraudes em licitações é encontrado morto em Campinas. A Corregedoria da Polícia passa a investigar a morte do policial que era chefe do departamento de inteligencia da PF.

04 de janeiro de 2011 - A Sanasa prorroga o contrato com a Pluriserv, uma das empresas denunciadas. O aditamento no valor de R$ 500 mil para o serviço de segurança foi prolongado por um mês.

18 de janeiro de 2011 - O juiz da 3ª Vara Criminal de Campinas acata a ação de peculato proposta pelo MP pela contratação do advogado Oliveira Lima.

24 de janeiro de 2011 - A CPI da Sanasa na Câmara é encerrada e os vereadores não encontram irregularidades.

12 de abril de 2011 – O MP faz 17 novas convocações para depoimentos. Na lista estão a primeira-dama, Rosely Nassim Jorge Santos, o secretário de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública, Carlos Henrique Pinto, o coordenador de Comunicação, Francisco de Lagos, o presidente da Sanasa, Lauro Péricles Gonçalves, além de empresários e outros dirigentes públicos.

19 de abril de 2011 – O MP passa a investigar as empresas da família do ex-diretor de Planejamento da Prefeitura, Ricardo Chimirri Cândia. O empresário possui 19 terrenos alugados para a instalação de telefonia celular.

20 de abril de 2011 – A oposição na Câmara Municipal de Campinas articula a criação de uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as mais recentes denúncias de supostas fraudes nos contratos da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S.A. (Sanasa).

22 de abril de 2011 – O Ministério Público (MP) em Campinas ouve o lobista Maurício de Paulo Manduca no processo que investiga supostas fraudes em sete contratos da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa). Manduca foi apontado como um intermediador num esquema de fraudes e direcionamento em contratos públicos e lavagem de dinheiro, operado por seis empresas do empresário paulistano, José Carlos Cepera. O lobista chegou a ser preso em setembro do ano passado, quando o caso veio à tona, mas conseguiu na Justiça o direito de responder o processo em liberdade.

25 de abril de 2011 – Numa tentativa de livrar o Executivo de mais desgastes na Câmara, os vereadores da base governista partiram para a coleta de assinaturas de uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Desta vez, a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa), sai de foco para dar lugar as antenas de telefonia celular. A CPI das antenas segundo o líder de governo, Francisco Sellin, pode reforçar o trabalho de investigação que teve início dentro da Prefeitura.

06 de maio de 2011 – A Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S.A (Sanasa) terá que submeter à análise e aprovação da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), em 90 dias, um plano de recuperação ambiental da área de proteção permanente (APP) do Córrego Boa Vista, no distrito de Aparecidinha, sob pena de multa diária de R$ 2 mil. Naquele local, caminhões da empresa foram flagrados, no ano passado, fazendo o depósito irregular de resíduos.

06 de maio de 2011 - O proprietário da Miami Store José Carlos Said Diaz negou conhecer o ex-diretor de Planejamento de Campinas Ricardo

Deixe seu Comentário

Leia Também

tratamento precoce prefeito curitiba 100 TRATAMENTO
"Estão no Cemitério", diz prefeito de Curitiba sobre pessoas que usaram tratamento precoce Covid-19
A CASA CAIU
Mulher invade casa e flagra namorado fazendo sexo com outra; veja vídeo
LINHA DE FRENTE
'Ele lutou até o final', diz irmã de médico de 28 anos, após quase um mês morreu de Covid-19
SEU BOLSO
Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Na calada da noite, namorado da avó estupra criança de 12 anos e é espancado por vizinhos
CONCURSO PÚBLICO
Concurso da Aeronáutica somam com as 21 mil vagas em outros concursos que a semana oferece
DEU RUIM
Jovem é atingido por raio enquanto usava celular no banheiro
PROVA DO ENEM
Confira as medidas de segurança durante a prova do Enem
SAIU O EDITAL
Com salário de até R$ 23,6 mil, Polícia Federal abre inscrição em concurso no dia 22
DESESPERO EM MANAUS
Médicos e familiares de pacientes descrevem colapso com falta de oxigênio em Manaus; leia relatos