Menu
SADER_FULL
sábado, 26 de setembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Rio Brilhante realiza campanha contra venda de bebida a menores

27 Out 2010 - 15h29Por TJ / MS

Em parceria com o Banco do Brasil, a Vara Criminal da Comarca de Rio Brilhante realiza campanha para conscientizar os comerciantes a não vender bebida alcoólica aos menores de idade.

O juiz titular da Vara Criminal, Jorge Tadashi Kuramoto, informa que os cartazes serão afixados em todas as localidades em que há venda de bebida alcoólica: bares, restaurantes, supermercados, postos de combustíveis, entre outros. Em todas as festas em que houver bebidas, também será afixado o cartaz, que foi confeccionado com patrocínio do Banco do Brasil.

O magistrado editou a Portaria nº 39/2010, que regulamenta a presença de menores em lan houses, disciplina a participação de menores em festas e prevê sanções com base no Estatuto da Criança e do Adolescente. O Conselho Tutelar fará a fiscalização nos estabelecimentos quanto ao cumprimento da norma e a afixação dos cartazes.

A intenção da campanha é evitar um mal que tem sido uma constante na cidade de Rio Brilhante:  menores de idade que dirigem alcoolizados e provocam acidentes de trânsito. “Em Rio Brilhante é comum vermos menores bebendo em praças, em bares e festas. Portanto, esse trabalho busca conscientizar o comércio em geral, em relação às consequências para quem vende bebidas a esses menores”.

O Estatuto - A Lei Federal nº 8069, conhecida como Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), proíbe a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.

O artigo 81 da referida lei também proíbe a venda de diversos produtos a crianças e adolescentes, como: armas; munições; explosivos; produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica, ainda que por utilização indevida; fogos de artifício, exceto aqueles de reduzido potencial, incapaz de provocar dano físico; revistas e publicações com conteúdo impróprio e bilhetes lotéricos.

O artigo 243 do ECA estipula como pena a quem vende ou fornece produtos que possam causar dependência física ou psíquica a menores, detenção de dois a quatro anos e multa, se o fato não constitui crime mais grave.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Motorista registrou a travessia de uma jiboia na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. FORA DO HABITAT
VÍDEO: motorista flagra jiboia cruzando pista de avenida no RJ: 'olha isso'
Só queria que me entendessem sem preconceito! PRECONCEITO
Jovem é expulso de casa ao assumir namoro com mulher trans
Yan e um comparsa renderam mãe e filha na rua CRIMINOSO
Bandido morto pela PM arrancou família de carro e agrediu mulher uma semana antes
O diesel não sofreu reajuste. + ALTA
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de segunda Saúde
Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas
HERANÇA PORTUGUESA
A herança portuguesa na vida cotidiana do Brasil
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial para 5,6 milhões de pessoas
o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo PRESIDENTE NA ONU
Bolsonaro diz que brasileiros receberam mil dólares de auxílio
Imagem: Reprodução/Balanço Geral Londrina FUGA EM MASSA
Presos fogem de cadeia após surto de Covid-19
Material estava dentro de uma bexiga e enrolado com fita isolante PROFUNDEZAS DO CRIME
8 celulares e outros materiais são retirados do ânus de preso