Menu
SADER_FULL
sexta, 12 de agosto de 2022
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

PT e PMDB selam pacto de convivência para Estados

25 Nov 2009 - 13h18Por Folha Online

Na tentativa de evitar o embate direto entre candidatos governistas em 2010, PT e PMDB estão dispostos a fechar uma espécie de "pacto" de boa convivência nos Estados onde a aliança nacional firmada entre os dois partidos não conseguir se repetir em nível regional. Os dois partidos já admitem que terão palanques separados em Estados onde PT e PMDB têm candidatos distintos na corrida pelos governos estaduais, por isso a disposição de petistas e peemedebistas é evitar o confronto direto --para impedir arranhões à aliança nacional.

"Vamos tentar construir ao máximo os palanques unitários, não desistimos da unidade. Mas onde isso não for resolvido, vamos trabalhar a convivência, como acontece na Bahia", disse a senadora Ideli Salvatti (PT-SC).

Na Bahia, o ministro peemedebista Geddel Vieira Lima (Integração Nacional) deve disputar o governo estadual com o atual governador Jaques Wagner (PT). Os dois sinalizaram que não desistem da disputa, mesmo com a pressão da cúpula nacional dos dois partidos em prol de palanques unitários.

O PT, porém, acredita que Wagner e Geddel terão uma disputa "amigável" para evitar prejuízo à candidatura da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) ao Palácio do Planalto.

O "pacto de convivência" não deve se repetir em Estados onde a aliança entre PT e PMDB é considerada "crítica" por integrantes das duas legendas --como São Paulo, Rio Grande do Sul e Pernambuco. "Tem situações em que essa convivência é impossível, onde não há sequer convivência", reconheceu Ideli.

Reunidas na manhã desta quarta-feira, as cúpulas do PT e do PMDB admitiram a possibilidade de liberar uma composição diferente de alianças nos cinco Estados onde a esperada unidade encontra dificuldades: São Paulo, Rio Grande do Sul, Bahia, Mato Grosso do Sul e Pernambuco.

Nos cinco Estados, o "pacto de convivência" não é cogitado pelos partidos. PT e PMDB, porém, esperam sensibilizar Estados onde apostam no diálogo entre os esperados candidatos, como Minas Gerais e Rio de Janeiro.

As cúpulas do PT e do PMDB prometem se reunir com frequência, até o início de 2010, para tentar solucionar impasses em Estados onde a aliança ainda é possível. Como o PMDB deve realizar convenção nacional para definir a aliança com o PT somente em março, os partidos prometem até lá tentar solucionar caso a caso os impasses estaduais.

A prioridade das legendas será solucionar as dificuldades encontradas atualmente em Minas e no Rio de Janeiro, onde os dois partidos esperam caminhas unidos apesar da forte tendência de palanques divergentes.

Nanicos

A Folha Online apurou que, durante o encontro, a cúpula petista deixou claro que prioriza a aliança nacional com o PMDB sobre quaisquer outras possíveis composições de chapa com partidos da base aliada governista.

Apesar do esperado apoio de partidos como o PSB à candidatura da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) à presidência da República, caso o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) não se lance na disputa, a prioridade do PT é consolidar a aliança nacional com o PMDB.

Leia Também

NOITE DE TERROR
Moradores relatam medo vivido em confronto com oito mortos
ACIDENTE DE TRABALHO FATAL
Trabalhador morre soterrado ao fazer limpeza em silo de grãos
AGRESSÃO NA ESCOLA
Mulher invade escola e espanca aluna a pauladas
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil ultrapassa o número de 680 mil mortos pela doença
AUXÍLIO BRASIL AUXILIO POPULAÇÃO
Auxílio Brasil de R$ 600 e vale-gás saem hoje para mais um grupo
BRASIL + POBRE
Estudo mostra alta da pobreza em regiões metropolitanas
ESTERILIZAÇÃO
Senado aprova redução da idade mínima para realização de laqueadura
ASSUSTADOR
VÍDEO: Tromba d´água é registrada no Litoral e assusta moradores
TEMPESTADE
Temporal derruba teto de UTI covid em hospital e pacientes são transferidos às pressas
COVID NO BRASIL
Brasil registra 365 mortes e 30,2 mil casos de covid-19 em 24 horas