Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 17 de abril de 2021
BANNER EMAGRECEDOR VICENTINA
Busca
Brasil

Projeto prevê florestamento em área de hidrelétrica

29 Set 2004 - 10h19
As empresas concessionárias de usinas hidrelétricas terão que realizar o florestamento das matas ciliares dos reservatórios, se o Projeto de Lei 4147/04, apresentado pelo deputado Jurandir Boia (PSB-AL), for aprovado pela Câmara e pelo Senado Federal.
De acordo com a proposta, as empresas que já possuam usinas em funcionamento serão obrigadas a plantar árvores nas matas ciliares em uma faixa de, no mínimo, 100 metros dos reservatórios. Já as novas usinas hidrelétricas terão suas condições estabelecidas com base nos respectivos Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e Relatório de Impacto Ambiental (RIA).
Segundo o autor do projeto, além de disciplinar o florestamento na área dos reservatórios, a proposta vai evitar a erosão e proteger o solo das bacias hidrográficas.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Minas e Energia; de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.
 
 
Agência Câmara

Deixe seu Comentário

Leia Também

VIDEO CAPIVARA NA IGREJA
Capivara invade igreja: 'acho que ela veio rezar conosco', brinca Padre
BEBEDEIRA
Idoso conhece mulher, leva para casa é atacado a facadas
ROUBO DE CARGA
Três mil pessoas roubam carga de carne após carreta tombar e provocam novo acidente
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa credita 1ª parcela do Auxílio Emergencial nesta quinta para nascidos em maio
mulher carro beltrao 1 VIDEO
Mulher cai e fica ferida após ser flagrada em cima de carro em movimento
DESESPERADOR
Covid-19: Brasil registra 3.808 mortes em 24 horas
EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições