Menu
SADER_FULL
sábado, 23 de outubro de 2021
SADER_FULL
Busca
Brasil

Petrobras prevê instalar duas usinas de biodiesel no RS

23 Out 2006 - 14h15
A Petrobras prevê investir, com eventuais sócios, cerca de R$ 200 milhões para instalar duas usinas produtoras de biodiesel no Rio Grande do Sul. As plantas devem operar entre o final de 2007 ou o começo de 2008 em local ainda a ser confirmado, com maior probabilidade em Palmeira das Missões (noroeste) e Bagé (sul). Para abastecer as unidades, duas cooperativas que participam dos projetos devem instalar 12 unidades de extração de óleo próximas a cada uma.

O investimento na etapa de extração do óleo ficará a cargo das cooperativas, que esperam contar com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Conforme as cooperativas, uma esmagadora de porte médio, capaz de gerar 60 mil litros por dia, custa cerca de R$ 3 milhões. As 24 que estão previstas devem ter capacidade para produzir de 10 a 40 mil litros diários. A Petrobras irá comprar o óleo produzido pelas esmagadoras.

Como há tradição de cooperativismo no Estado, o diretor de gás e energia da Petrobras, Ildo Sauer, disse que a estatal quer adquirir matéria-prima da agricultura familiar além do necessário para obter o Selo Social. Para receber o selo, concedido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), o produtor de biodiesel precisa comprar uma parte da matéria-prima (que varia conforme a região do País) da agricultura familiar. O deputado Frei Sérgio Görgen (PT) - ligado à Via Campesina - disse que são poucos os grandes produtores ligados ao projeto.

Para obter matéria-prima, as cooperativas estimam que serão necessários 120 mil hectares cultivados com oleaginosas na região norte (Cooperbio) e 105 mil hectares no sul (Biopampa). Além de soja, mamona, girassol, amendoim e canola também devem ser cultivados. As duas cooperativas calculam que aproximadamente 75 mil famílias irão fornecer a matéria-prima. Na região sul, o Frigorífico Mercosul vai avaliar a participação como fornecedor de gordura animal (sebo) para as esmagadoras de óleo. A Petrobras prevê capacidade para 100 mil toneladas por ano de biodiesel em cada usina.

Com estes dois projetos e outras três usinas de biodiesel previstas para operar no Rio Grande do Sul, Sauer estimou que o Estado será superavitário na oferta do combustível e poderá fornecer para exportação. Além destes, a Petrobras tem projetos para três usinas de biodiesel em Montes Claros (MG), Quixadá (CE) e Candeias (BA), cujos contratos de construção devem ser aprovados nos próximos dias pela diretoria da estatal. "O objetivo da Petrobras é se tornar líder em produção de biodiesel", lembrou Sauer.

A estatal assina nesta segunda e terça-feira memorandos com as cooperativas Cooperbio (Cooperativa Mista de Produção, Industrialização e Comercialização de Biocombustíveis do Brasil), em Palmeira das Missões, e Biopampa (Cooperativa de Biocombustíveis da Região do Pampa Gaúcho), em Bagé. Sauer disse que agora começa a fase conceitual dos projetos. A construção das usinas deve levar cerca de 13 meses.

Além dos acordos para a produção de biodiesel, a Petrobras também assina na tarde desta segunda contrato com a Cooperbio que prevê o teste prático de um novo modelo para produção de álcool, a partir da agricultura familiar. A estatal irá aplicar R$ 2,3 milhões no projeto, contratando a Cooperbio em conjunto com as Universidades Regional Integrada do Alto Uruguai (URI) e Federal de Santa Maria (UFSM) para demonstrar a viabilidade de produzir 5 mil litros por dia em Vista Alegre (RS), a partir de dez pequenas destilarias que usem cana-de-açúcar e outros alimentos (batata doce e mandioca).

A cooperativa avalia que será possível produzir álcool mais barato que em São Paulo, por R$ 0,70/litro. Será preciso contar com 400 hectares de cana para abastecer as destilarias, uma cultura que não tem produção comercial no Estado. "Estamos resgatando esta atividade", comentou Sauer, sobre o fato de o projeto incentivar a produção com finalidade econômica. Parte da cana será usada na alimentação do gado e o bagaço, como fertilizante. Por isso, os subprodutos da usina retornam para os agricultores.

 

 

Estadão

Leia Também

OLIMPÍADA 2024
Atletas de MS terão bolsas de até R$ 7 mil para competir nos jogos olímpicos
LIÇÕES DA BÍBLIA
Estudo adicional
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas
ESTAVA DESAPARECIDO
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré
LIÇÕES DA BÍBLIA
O principal mandamento
BAIXARAM A GUARDA
Covid-19: Brasil registra 390 mortes e 12,9 mil casos em 24 horas
LIÇÕES DA BÍBLIA
Se me amam, guardarão os Meus mandamentos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab está com 655 vagas para indígenas interessados em trabalhar em lavouras de maçã em SC e RS
ALERTA TEMPORAIS
Chance de Tempestades (La Ninã) no final do ano é de 87%, aponta atualização do NOAA
LIÇÕES DA BÍBLIA
Ele nos amou primeiro