Menu
SADER_FULL
domingo, 16 de maio de 2021
Busca
Brasil

MSI tenta acelerar chegada de Tevez ao Corinthians

25 Nov 2004 - 13h09
 

O empresário Renato Duprat, braço direito do presidente da Media Sports Investment (MSI), Kia Joorabchian, embarcou na quarta-feira para Buenos Aires com um único propósito: finalizar e trazer na mala a contratação do atacante argentino Carlos Tevez, estrela do Boca Júniors. A idéia é simples. Os novos parceiros do alvinegro querem provar, logo nos primeiros dias de trabalho, que o interesse, ao contrário do que a oposição alegou na véspera da reunião do conselho, não foi revelado apenas para conquistar votos e ludibriar a torcida e opinião pública.

”As negociações estão muito bem encaminhadas e adiantadas”, afirmou Duprat, durante a tarde desta quarta-feira. “Daqui a pouco estou embarcando para conversar lá com eles (argentinos) sobre isso. Estou bastante otimista”, disse.

A MSI se dispõe a pagar US$ 18 milhões ao Boca Júniors. Em princípio, a intenção seria manter Tevez no Parque São Jorge até a metade do próximo ano, quando abre a temporada no futebol europeu. Detalhe: esse dinheiro investido não faz parte do montante de US$ 15 milhões prometidos para contratações. Trata-se negociação à parte.

Menos de 24 horas depois da tumultuada e polêmica reunião que resultou na aprovação do contrato e, conseqüentemente, da parceria com o Corinthians, executivos da MSI já trabalhavam como responsáveis pelo departamento de futebol corintiano. Além da viagem de Duprat, o presidente da MSI, Kia Joorabchian, já tem até sala no Parque São Jorge. E fica no quinto andar do Palácio de Mármore, logo ali, ao lado da presidência. Por volta da 23h30 (horário de Mato Grosso do Sul), logo após a polêmica e contestada votação do Conselho Deliberativo, o iraniano recebeu telefonema de um de seus assessores que havia conversado com Dualib minutos antes. E a orientação era clara: “Está tudo acertado. Você já pode se instalar por lá (no clube) e começar a trabalhar”, afirmou.

Se quiser, Joorabchian pode começar a trabalhar quando quiser no Departamento de Futebol do Corinthians. De acordo com a cláusula 5.1 do contrato, não é preciso esperar até o dia 1º de dezembro para o acordo entrar em vigor. Diz o documento: “A menos que de outra maneira mutuamente acordada por escrito entre as Partes, a 'Data de Fechamento' dar-se-á até o dia 1º de Dezembro de 2004”.

Ou seja, não existe carência entre o acerto do contrato e o dia de início do trabalho. A parceria já está em vigor. Até mesmo lideranças da oposição reconhecem o fato. “Infelizmente, enquanto as medidas na Justiça para suspender a votação não forem julgadas, fica valendo o que está na ata da reunião, que dá a parceria como aprovada”, explicou o jurista Guilherme Strenger.


Globo On line

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada