Menu
SADER_FULL
sábado, 6 de junho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Menor que matou estudante se apresenta a juiz

30 Mar 2007 - 15h08
O acusado pelo assassinato do estudante Flávio Seabra Calixto de 15 anos, morto com 9 facadas no interior da Escola Menodora Fialho de Figueiredo no dia 19 deste mês, se apresentou hoje de manhã ao juiz Eduardo Machado Rocha, da Vara de Infância e Adolescência do Fórum de Dourados. Ele se apresentou ao juiz junto com familiares e de lá foi levado para a Unei, onde será internado. Ele tem 15 anos e o prazo de internação será definido pelo juiz. 
 

O inquérito policial sobre o crime na escola já havido sido concluído pelo delegado Roberto Queiroz Coelho. De acordo com o que relatou o delegado o crime já vinha sendo planejado havia alguns dias pelo adolescente que está sendo procurado pela polícia que com a ajuda de um comparsa de 15 anos que já está apreendido na UNEI de Dourados.
 
Para a polícia o acusado pelo crime é uma pessoa introvertida, não demonstrava interesse pelos estudos, era de pouca conversa e poucos amigos, morava com sua mãe e quase nenhum relacionamento tinha com seu pai natural.
 
Já a vítima é descrita como alto e forte, brincalhão, conversador, respeitado pelos colegas, impunha seus gostos sob os demais pela força, registrando restrições em sua ficha escolar, razão que quase levou a escola a negar sua matricula e recomendar outra escola, o que não ocorreu por intervenção da coordenadora, que trabalhava na sua socialização com a comunidade escolar, o que já vinha dando resultados.

O adolescente assassinado teria feito diversas inimizades entre elas com o foragido e que ao lado do irmão sempre se envolvia em confusões. O irmão fora inclusive impedido de se matricular na escola Menodora e só voltou ao estabelecimento por meio da Central de Matriculas que determina onde cada aluno deve estudar.
 
No dia do crime o acusado e seu comparsa não assistiram aula e ficaram no pátio aguardando o melhor momento para atacar o desafeto. Os dois deram um picolé para que um garoto de 11 anos fosse até a sala chamar o Flávio que ao sair foi atacado por traz sem chance de defesa.

O irmão de Flávio tinha deixado a escola um pouco antes do crime e segundo informações de outros dois menores que também sabiam que o crime iria acontecer também deveria ser morto no mesmo dia. Só não acontecendo o crime, pois no ponto de ônibus onde ele estava haviam muitas pessoas.

Depois do crime o adolescente acompanhado do outro menor deixou o local e até agora não foi localizado. O delegado Queiroz disse que apesar das diligências a localização do principal acusado pelo crime não foi possível e que dois menores foram recolhidos a UNEI por terem participação direta no episódio.

“Fizemos o que podia ser feito e agora esperamos que a família colabore e apresente o acusado para que ele possa dar a versão dele para o fato”, disse Queiroz que encaminhou o relatório do inquérito para a Promotoria. (Antonio Coca e Osvaldo Duarte)
 
 
 
 
 
Dourados News

Deixe seu Comentário

Leia Também

OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Concurso federal com salário de até R$ 6 mil encerra inscrições nesta sexta-feira
100 ANUNCIOS
Covid-19: Bolsonaro ordenou atrasar boletins para não passar em telejornais
AUXILIO EMERGENCIAL
Veja se o seu CPF foi usado e como denunciar a fraude
3º EM NÚMERO DE VÍTIMAS
Com recordes seguidos, Brasil passa dos 34 mil mortos por coronavirus
COVID-19
Micro e pequenas empresas terão acesso a crédito facilitado
VÍDEO - CAPIVARA BOA DE MERGULHO
Capivara boa de mergulho é flagrada em rio de MS, assista
CASO DE POLÍCIA
Patroa é presa sob suspeita de homicídio culposo após filho de empregada cair do 9º andar
LUTA PELA VIDA
Cantora gospel que morreu por coronavírus, fez vaquinha para pagar tratamento
ELEIÇÕES 2020
Vai ter eleição, TSE autoriza convenções partidárias virtuais para eleição deste ano
BOA NOTICIA
Auxílio emergencial deve ser estendido em mais duas parcelas de R$ 300