Menu
SADER_FULL
domingo, 25 de julho de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Leia o artigo "POLITCA SUJA II: PERSEGUIÇÃO AO ELEITOR" por W.C.Chagas

6 Set 2010 - 15h34Por Wagner Cordeiro Chagas
Em continuidade a série de artigos que escrevo neste período eleitoral, descrevo neste uma segunda prática, que considero uma das mais ridículas e retrógradas por parte de alguns candidatos: a perseguição a eleitores devido a sua opinião política. Infelizmente, em pleno século XXI, num país de regime democrático, onde as liberdades individuais são garantidas pela Constituição Federal, esses artifícios ainda são utilizados.
Essas práticas foram muito comuns no Brasil dos tempos do Império (1822-1889) e da República Velha – fase da história nacional que se estende de 1889 até 1930, caracterizada inicialmente pelas gestões dos marechais presidentes Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto, até 1894 e, depois por um sistema de acordos existentes entre latifundiários ligados ao Partido Republicano Mineiro (PRM) e ao Partido Republicano Paulista (PRP) para se revezarem na Presidência da República e nos governos estaduais.
Era comum nessa época, a constante ocorrência de fraudes nas eleições, já que quem votava era obrigado a revelar a todos os presentes na seção, quem havia escolhido, prática conhecida como voto de cabresto. Sendo o voto aberto, as pessoas acabavam escolhendo, por pressão, sempre os candidatos ligados aos coronéis oligarcas das regiões interioranas do país, caso contrário poderia perder privilégios, como por exemplo, o emprego.
Guardada as devidas proporções, essa forma de intimidação do eleitor ainda é adotada por políticos, principalmente nos municípios de menor porte do Brasil. Tais políticos, além de se perpetuarem nos cargos, e possuírem uma ambição medonha pelo poder, não permitem que candidatos com novos ideais possam progredir e ser eleitos.
É algo confuso de entender, pois todos aqueles que se elegem para cargo político, no momento da posse prometem cumprir e respeitar a Constituição e demais leis. Contudo, parece que essas autoridades se esquecem do juramento feito e passam a desrespeitar a legislação ao tentar tirar um dos direitos basilares do cidadão: a liberdade de escolha, de opinião, de voto.
Candidato que faz política séria e honesta não persegue o eleitor por este apoiar determinado postulante a cargo eletivo, ao contrário, este tipo de candidato, que felizmente ainda existe, respeita e muito a opinião das pessoas, deixando-as livres para escolher o nome que melhor lhe represente. Portanto caro leitor, não se deixe levar por ameaças de políticos dessa espécie que só utilizam o poder em benefício próprio e não sabem o significado da palavra respeito. Político que não respeita seu direito de livre escolha não merece ser eleito de forma alguma. Pense nisso e exerça CONSCIENTE E LIVREMENTE O SEU DIREITO DE VOTO.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Foto: Mycchel Legnaghi - São Joaquim online PREVISÃO DO TEMPO
Maior frio do ano? Temperaturas negativas, geada e até neve!
TRABALHO ESCRAVO
Aliciamento de crianças: família de líderes religiosos é presa em operação da polícia
ATO OBSCENO
Homem é detido após entrar nu em culto evangélico
TRAIÇÃO
Vídeo: Mulher flagra marido com travesti dentro do carro e 'pancadaria come solta'
COVID 19 NO BRASIL
Brasil tem 1 órfão por covid a cada 5 minutos: 'Pensamos que crianças não são afetadas, mas sim
SELEÇÃO OLIMPICA
Brasil ameaça passeio em estreia contra a Alemanha, mas desperdiça chance de goleada histórica
TRAGÉDIA NO RIO
Barco vira com nove pessoas matando 3 crianças e 3 adultos
REVOLTA
Mulher tem parte do rosto destruído por ataque de pitbull sem coleira; assista
FLAGRA
Vigilante descobre traição e mata amante da esposa com 3 tiros
SOB INVESTIGAÇÃO
"Te achei!", gritou suspeito antes de matar jovem de 16 anos com 10 tiros