Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 25 de julho de 2021
Busca
Brasil

Leia a coluna “O cocô do passarinho”, por A. J. Rettenmaier

6 Ago 2010 - 18h00Por A. J. Rettenmaier

O COCÔ DO PASSARINHO 

 

 

 

 

 

Certamente vocês dirão que está faltando inspiração para que resolva escrever sobre o cocô de um passarinho. Ou melhor, vamos falar então do cocô dos passarinhos, porque dificilmente nos damos conta de que seja de que espécie for, o trabalho simples do mais simples dos pássaros, é o maior responsável de ainda termos algum oxigênio para respirar. E nós bem que temos tentado acabar com eles, mas ainda, prestem atenção nisto, ainda, não conseguimos.

 

Nossos amigos têm a mania de todos os dias ingerirem todos os tipos de frutas, brotos, e sementes, até incomodando quando devoram nossas laranjeiras, bergamoteiras, ameixeiras, macieiras, pitangueiras, amoreiras e tantas outras. Mas, de repente e quando menos esperamos, encontramos em algum terreno baldio ou mata mais fechada, ou até mesmo em nosso jardim, horta ou quintal, uma árvore frutífera, para lá levada no cocô do passarinho.

 

Nós, os poderosos seres humanos, normalmente somos incapazes de registrar ou reconhecer a importância desse cocô, mas somos capazes de criar nuvens, que deixamos cada dia mais carregadas, mais densas e pesadas, que se transformarão para nossas vidas verdadeiras tempestades, que quando desabam sobre nossas cabeças, somos ainda capazes de reclamar e perguntar com o ar de inocente, de onde saíram tantos raios? Quando as nuvens nos caem, somos capazes de ainda com ar de tristeza e revolta dizer... É... Está chovendo!

 

Mesmo envoltos no temporal de nossas próprias nuvens e descargas de nossos caprichados raios, somos capazes de perguntar por que a tempestade cai sobre nós e ninguém mais!

 

Apesar de tudo isto, como seres humanos inteligentes e esquecidos que somos, temos a capacidade de ainda conseguir ignorar aquele passarinho que em algum momento de algum dia de nossas vidas, fez cocô nas nossas cabeças, e as limpamos sem dar a importância, que agora sentimos que teria.

 

Se algum passarinho fizer cocô na sua cabeça, lembre que pode haver ali uma semente para o seu futuro.

 

 

 

Antonio Jorge Rettenmaier, Escritor, Cronista e Palestrante, membro da AGEI, Associação Gaúcha dos Escritores Independentes. Esta coluna está em 70 jornais impressos e eletrônicos do Brasil e Exterior.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Foto: Mycchel Legnaghi - São Joaquim online PREVISÃO DO TEMPO
Maior frio do ano? Temperaturas negativas, geada e até neve!
TRABALHO ESCRAVO
Aliciamento de crianças: família de líderes religiosos é presa em operação da polícia
ATO OBSCENO
Homem é detido após entrar nu em culto evangélico
TRAIÇÃO
Vídeo: Mulher flagra marido com travesti dentro do carro e 'pancadaria come solta'
COVID 19 NO BRASIL
Brasil tem 1 órfão por covid a cada 5 minutos: 'Pensamos que crianças não são afetadas, mas sim
SELEÇÃO OLIMPICA
Brasil ameaça passeio em estreia contra a Alemanha, mas desperdiça chance de goleada histórica
TRAGÉDIA NO RIO
Barco vira com nove pessoas matando 3 crianças e 3 adultos
REVOLTA
Mulher tem parte do rosto destruído por ataque de pitbull sem coleira; assista
FLAGRA
Vigilante descobre traição e mata amante da esposa com 3 tiros
SOB INVESTIGAÇÃO
"Te achei!", gritou suspeito antes de matar jovem de 16 anos com 10 tiros