Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 5 de agosto de 2021
Busca
Brasil

Diferença nos benefícios da Previdência poderá ser paga após eleições

21 Out 2010 - 17h01Por Agência Brasil
O ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, vai discutir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, após o segundo turno das eleições, a forma de pagamento da diferença nos benefícios de 150 mil aposentados e pensionistas que tiveram ganho de causa no Supremo Tribunal Federal (STF).

Em entrevista hoje (21), ele informou que, de acordo com levantamento feito pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a conta deverá ficar em R$ 1,5 bilhão. Gabas disse que defende que o pagamento seja feito o mais rápido possível, mas que será melhor ficar para depois das eleições, "para que não haja confusão entre gestão e processo eleitoral".

Para o ministro, "não tem sentido não pagar aos aposentados, porque eles tiveram o direito reconhecido pelo STF". Uma parte desses beneficiários, explicou Gabas, vai receber diferença relativa à mudança no teto do Regime Geral de Previdência Social em 1998 e outra à mudança ocorrida em 2003.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FÁTIMA DO SUL - ORLA TCHAU FRIO!!!
TCHAU FRIO: Nova onda de calor deve chegar na próxima semana, confira a previsão
SUPERÁVIT
Petrobras anuncia lucro líquido de US$ 8 bilhões no segundo trimestre
BRASIL - 20.026.502 INFECTADOS
Brasil ultrapassa 20 milhões de casos de covid-19
TRAGÉDIA NA RODOVIA
Caminhoneiro embriagado invade pista contrária e mata cinco pessoas
ASSALTO À LOJA
Bandidos roubam loja e trocam tiros com a PM; numa ação audaciosa: veja fotos e vídeos
DOENÇA DO SÉCULO
Vídeo: cantora alerta famílias após filho de 16 anos cometer suicídio; "internet está doente"
BRASIL - 558.432 MORTES
Covid-19: casos sobem para 19,98 milhões e mortes, a 558,4 mil
AMOR BANDIDO
Homem leva facada da esposa, perdoa e casal sai de mãos dadas da delegacia
CURA DA DIABETES
Brasil registra 1ª cirurgia contra diabetes tipo 2 feita com robô
BRASIL - 557.223 MORTES
Covid-19: Brasil registra 557,2 mil mortes e 19,95 milhões de casos