Menu
SADER_FULL
sexta, 14 de maio de 2021
Busca
Brasil

Cooperativa pede ação da PF em usina de Naviraí

9 Dez 2004 - 10h50
A Coopernavi (Cooperativa das Usinas de Álcool de Navirai), a 352 km de Campo Grande, solicitou ontem ação da Polícia Federal na área da empresa para coibir o uso de álcool e drogas pelos indígenas contratados para a colheita da cana de açúcar. O diretor da cooperativa, Antônio Carlos Moraes, fez a afirmação durante reunião realizada entre o MPT (Ministério Público do Trabalho) e representantes de indígenas. Para o empresário, as discussões ultrapassam os direitos trabalhistas. Na região, segundo ele, tem sido comum os casos de estupros coletivos e índios que fazem o uso de bebidas alcoólicas e de drogas. A Operação Sucuri da PF tem sido desencadeada nas aldeias de Dourados e já conseguiu reduzir o uso de álcool e drogas na Reserva de Dourados. A proposta vai ser encaminhada para a PF. Outra proposta que saiu da reunião foi que a Procuradoria do Trabalho vai propor que a Funasa (Fundação Nacional de Saúde) forneça prontuário com informações de saúde dos indígenas para exame medico admissional nas usinas. Atualmente, 7 mil indígenas trabalham nas usinas de álcool no Estado no sistema de contrato de equipe. As informações são do Campo Grande News.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada