Menu
SADER_FULL
sábado, 26 de setembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ZANZI
Brasil

Controladoria detecta desvio de R$ 25 mi em Dourados

9 Out 2010 - 06h35Por Folha Online

Levantamento feito pela CGU (Controladoria-Geral da União) a pedido da Polícia Federal em Dourados (MS) indica desvio de R$ 25 milhões de verbas federais e estaduais feito pelo prefeito afastado, Ari Artuzi (sem partido), vereadores, funcionários e donos de empreiteiras.

O montante é resultado principalmente do superfaturamento de contratos licitados para compra de medicamentos e obras, segundo o levantamento da CGU.

Os auditores analisaram documentos recolhidos na Prefeitura de Dourados referentes ao período de janeiro de 2009 a agosto de 2010.

A avaliação começou da Operação Uragano, da PF, na qual Artuzi e mais 28 pessoas foram detidas sob suspeita de desvio de verba pública.

O delegado da PF em Dourados, Bráulio César Galloni, disse que foram avaliados 53 contratos, que somam R$ 125 milhões em verbas dos governos federal e estadual.

Indícios de irregularidades foram encontrados em 36 desses contratos, que totalizam R$ 25 milhões.

"Esse dinheiro era destinado à corrupção", disse.

Os contratos superfaturados eram, na maioria, na área da saúde.

Galloni calcula que de R$ 16 milhões a R$ 17 milhões dos recursos destinados eram de licitações da compra de medicamentos e outras movimentações via Hospital Evangélico. O restante do dinheiro desviado foi angariado por superfaturamento de contratos de pavimentação e operações tapa-buraco.

Segundo a denúncia feita pelo Ministério Público Estadual, os recursos do Hospital Evangélico foram umas das principais fontes de pagamento de propina a vereadores, que recebiam R$ 50 mil de mensalão, dinheiro proveniente desses desvios.

Galloni disse que o relatório da CGU será encaminhado ao Ministério Púbico do Estado e Ministério Público Federal para que sejam anexados os inquéritos.

Com a operação da PF, 60 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público sob acusação de falsidade ideológica, crime contra as relações de trabalho e formação de quadrilha.

Artuzi, mesmo afastado do cargo, tem foro privilegiado e a denúncia deve ser avaliada pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Desde 1º de setembro, Artuzi está preso em Campo Grande. Ele sempre negou envolvimento no caso.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Motorista registrou a travessia de uma jiboia na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. FORA DO HABITAT
VÍDEO: motorista flagra jiboia cruzando pista de avenida no RJ: 'olha isso'
Só queria que me entendessem sem preconceito! PRECONCEITO
Jovem é expulso de casa ao assumir namoro com mulher trans
Yan e um comparsa renderam mãe e filha na rua CRIMINOSO
Bandido morto pela PM arrancou família de carro e agrediu mulher uma semana antes
O diesel não sofreu reajuste. + ALTA
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de segunda Saúde
Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas
HERANÇA PORTUGUESA
A herança portuguesa na vida cotidiana do Brasil
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial para 5,6 milhões de pessoas
o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo PRESIDENTE NA ONU
Bolsonaro diz que brasileiros receberam mil dólares de auxílio
Imagem: Reprodução/Balanço Geral Londrina FUGA EM MASSA
Presos fogem de cadeia após surto de Covid-19
Material estava dentro de uma bexiga e enrolado com fita isolante PROFUNDEZAS DO CRIME
8 celulares e outros materiais são retirados do ânus de preso