Menu
SADER_FULL
sábado, 24 de julho de 2021
Busca
Brasil

Controladoria detecta desvio de R$ 25 mi em Dourados

9 Out 2010 - 06h35Por Folha Online

Levantamento feito pela CGU (Controladoria-Geral da União) a pedido da Polícia Federal em Dourados (MS) indica desvio de R$ 25 milhões de verbas federais e estaduais feito pelo prefeito afastado, Ari Artuzi (sem partido), vereadores, funcionários e donos de empreiteiras.

O montante é resultado principalmente do superfaturamento de contratos licitados para compra de medicamentos e obras, segundo o levantamento da CGU.

Os auditores analisaram documentos recolhidos na Prefeitura de Dourados referentes ao período de janeiro de 2009 a agosto de 2010.

A avaliação começou da Operação Uragano, da PF, na qual Artuzi e mais 28 pessoas foram detidas sob suspeita de desvio de verba pública.

O delegado da PF em Dourados, Bráulio César Galloni, disse que foram avaliados 53 contratos, que somam R$ 125 milhões em verbas dos governos federal e estadual.

Indícios de irregularidades foram encontrados em 36 desses contratos, que totalizam R$ 25 milhões.

"Esse dinheiro era destinado à corrupção", disse.

Os contratos superfaturados eram, na maioria, na área da saúde.

Galloni calcula que de R$ 16 milhões a R$ 17 milhões dos recursos destinados eram de licitações da compra de medicamentos e outras movimentações via Hospital Evangélico. O restante do dinheiro desviado foi angariado por superfaturamento de contratos de pavimentação e operações tapa-buraco.

Segundo a denúncia feita pelo Ministério Público Estadual, os recursos do Hospital Evangélico foram umas das principais fontes de pagamento de propina a vereadores, que recebiam R$ 50 mil de mensalão, dinheiro proveniente desses desvios.

Galloni disse que o relatório da CGU será encaminhado ao Ministério Púbico do Estado e Ministério Público Federal para que sejam anexados os inquéritos.

Com a operação da PF, 60 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público sob acusação de falsidade ideológica, crime contra as relações de trabalho e formação de quadrilha.

Artuzi, mesmo afastado do cargo, tem foro privilegiado e a denúncia deve ser avaliada pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Desde 1º de setembro, Artuzi está preso em Campo Grande. Ele sempre negou envolvimento no caso.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRABALHO ESCRAVO
Aliciamento de crianças: família de líderes religiosos é presa em operação da polícia
ATO OBSCENO
Homem é detido após entrar nu em culto evangélico
TRAIÇÃO
Vídeo: Mulher flagra marido com travesti dentro do carro e 'pancadaria come solta'
COVID 19 NO BRASIL
Brasil tem 1 órfão por covid a cada 5 minutos: 'Pensamos que crianças não são afetadas, mas sim
SELEÇÃO OLIMPICA
Brasil ameaça passeio em estreia contra a Alemanha, mas desperdiça chance de goleada histórica
TRAGÉDIA NO RIO
Barco vira com nove pessoas matando 3 crianças e 3 adultos
REVOLTA
Mulher tem parte do rosto destruído por ataque de pitbull sem coleira; assista
FLAGRA
Vigilante descobre traição e mata amante da esposa com 3 tiros
SOB INVESTIGAÇÃO
"Te achei!", gritou suspeito antes de matar jovem de 16 anos com 10 tiros
CRIME PASSIONAL
Homem mata a ex-mulher e atira contra a própria cabeça