Menu
SADER_FULL
domingo, 11 de abril de 2021
Busca
Brasil

Combustíveis ficam mais caros a partir de amanhã

31 Ago 2004 - 08h36
 

Os combustíveis (gasolina, óleo diesel e álcool) devem subir em torno de R$ 0,01 (um centavo) a partir de amanhã, dia primeiro de setembro, por conta do aumento do valor da pauta estabelecida pelo governo como parâmetro para o recebimento de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias) em Mato Grosso do Sul.

A portaria, estabelecendo a pauta, que passa a vigorar a partir do dia primeiro, foi publicada na semana passada pela Secretaria Nacional d Política Fazendária – Confaz. De acordo com ela, a gasolina passa de R$ 2.3297 para R$ 2.3745; o óleo diesel, de R$ 1,6498 para R$ 1,6659 e o álcool, de R$ 1,5165 para R$ 1,5684.

A estimativa de alta em torno de R$ 0,01 é do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Automotivos, Lubrificantes e Lojas de Conveniências de Mato Grosso do Sul – SINPETRO. Lembrando entretanto que: como os preços estão liberados, cada empresário deverá fazer uma análise de seus custos para estabelecer seus preços. Ou seja, poderão ou não aplicar esse ou outro índice de reajuste.

 

 

Dourados News

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo
CRISE NA PANDEMIA
Número de brasileiros que vivem na pobreza quase triplicou em seis meses, diz FGV