Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 5 de dezembro de 2021
ASSEMBLEIA DEZEMBRO 2021
Busca
Brasil

Cigarro mata de cerca de 200 mil pessoas por ano no Brasil

8 Mar 2010 - 14h31Por Ministério da Saúde
A fumaça do cigarro tem mais de 4.7 mil substâncias tóxicas, como monóxido de carbono, nicotina, alcatrão e amônia, entre outras

Um terço da população mundial fuma, ou seja, cerca de 1,3 bilhão de pessoas têm contato diariamente com substâncias tóxicas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os números do tabagismo no mundo são preocupantes. A cada dia,100 mil pessoas tornam-se fumantes, entre elas, crianças.

Pesquisas mostram que, em países desenvolvidos, 42% dos homens e 24% das mulheres são fumantes. No Brasil, levantamento realizado pelo Ministério da Saúde e pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca) indica que 18,8% da população brasileira é fumante - 22,7% dos homens e 16% das mulheres.

Mortalidade e doenças
O tabagismo é responsável pela morte de cinco milhões de pessoas por ano no mundo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 20 anos esse número chegará a 10 milhões se o consumo de produtos como cigarros, charutos e cachimbos continuar aumentando.

No Brasil, 23 brasileiros morrem por hora devido ao tabagismo, cerca de 200 mil por ano. O tabaco está associado a pelo menos 50 doenças, entre elas o câncer de pulmão, de boca e de faringe, doenças respiratórias obstrutivas crônicas, como enfisema e bronquite, além de infarto e angina.

Fumar ainda pode causar impotência sexual no homem, aneurismas arteriais, trombose vascular, úlcera do aparelho digestivo e complicações na gravidez.

Estudos mostram que o tabagismo é responsável por:
90% dos casos de câncer no pulmão (entre os 10% restantes, 1/3 é de fumantes passivos);
85% das mortes são causadas por bronquite e enfisema;
45% das mortes causadas por doença coronariana na faixa etária abaixo dos 60 anos;
45% das mortes por infarto agudo do miocárdio na faixa etária abaixo de 65 anos;
30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer (de boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga e colo de útero);
25% das mortes causadas por doença coronariana - angina e infarto do miocárdio;
25% das doenças vasculares (entre elas, derrame cerebral)

Cigarro
A fumaça do cigarro tem mais de 4.7 mil substâncias tóxicas, entre monóxido de carbono, amônia, cetonas, formaldeído, acetaldeído, acroleína, nicotina e alcatrão.

O alcatrão, formado a partir da combustão dos derivados do tabaco, por exemplo, é composto de mais de 40 substâncias cancerígenas.

Entre elas, há substâncias radioativas, como o Polônio 210, resíduos de agrotóxicos, substâncias usadas para veneno de rato, como o fósforo P4/P6, além de arsênio, níquel, benzopireno, cádmio, acetona e naftalina.

O monóxido de carbono (CO) em contato com a hemoglobina do sangue dificulta a oxigenação e, consequentemente, ao privar alguns órgãos do oxigênio causa doenças como a aterosclerose.

A nicotina é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) uma droga psicoativa que causa dependência. Ela age no sistema nervoso central chegando ao cérebro em torno de nove segundos.

Ela também aumenta a liberação de catecolaminas, que contraem os vasos sanguíneos, aceleram a freqüência cardíaca, causando hipertensão arterial.

Pare de fumar
Especialistas aconselham as pessoas a marcar uma data para largar o vício. Há dois métodos para parar de fumar: imediatamente ou gradualmente.

O método mais adequado é a parada imediata, no qual você marca uma data e, a partir desse dia, não fuma mais nenhum cigarro.

Esta deve ser sempre sua primeira opção. Outra alternativa é parar gradualmente, reduzindo o número de cigarros ou retardando a hora do primeiro cigarro do dia. Mas você não deve gastar mais de duas semanas, pois pode se tornar uma forma de adiar, e não de parar de fumar.

Para reduzir o número de cigarros, diminua um pouco a cada dia. Por exemplo, uma pessoa que fuma 30 cigarros por dia, no primeiro dia fuma os 30 cigarros usuais, no segundo dia 25, no terceiro 20, no quarto 15, no quinto 10 e no sexto fuma apenas 5 cigarros. O sétimo dia é a data para deixar de fumar e o primeiro dia sem cigarros.

Ao retardar a hora do primeiro cigarro, o fumante deve proceder com o mesmo método gradual. Por exemplo, no primeiro dia você começa a fumar às 9h, no segundo às 11h, no terceiro às 13h, no quarto às 15h, no quinto às 17h e no sexto às 19 h. O sétimo dia é a data para deixar de fumar e o primeiro dia sem cigarros.

Lembre-se também que fumar cigarros de baixos teores não é uma boa alternativa. Todos os tipos de derivados do tabaco (cigarros, charutos, cachimbos, cigarros de Bali, etc.) fazem mal à saúde. Cuidado com os métodos milagrosos para deixar de fumar. Caso não consiga parar de fumar sozinho, procure orientação médica.

Para obter informações sobre tabagismo consulte o site do Instituto Nacional de Câncer (Inca), órgão do Ministério da Saúde responsável por coordenar e executar o Programa de Controle do Tabagismo no Brasil.
Ou ligue no Disque Saúde (0800-611997).

Leia Também

covid_04.12 COVID NO BRASIL
Covid-19: país tem 22,1 milhões de casos e 615,5 mil mortes
LIÇÕES DA BIBLIA
Deuteronômio em escritos posteriores
ABUSO DE AUTORIDADE
PM arrasta homem negro algemado em moto; "Como na escravidão", diz gravação
REVOLTANTE
Índia de 13 anos violentada pelo avô busca ajuda e acaba estuprada por 4 em unidade saúde
DOENTIO
Mulher descongela geladeira e encontra corpo de bebê escondido em sacola
PONTE BIOCEÂNICA
Ponte Bioceânica vai ganhar nova data de lançamento; Bolsonaro e Marito participam
AÇÕES DO GOVERNO MS
Com estados da região Sul, Azambuja quer integração ferroviária e união para redução de carbono
PIX SAQUE
Pix Saque começa hoje:comércio vê nova ferramenta como chamariz para clientes,mas teme por segurança
TRAGÉDIA NA LINHA DO TREM
vítima comemorou aniversário do marido um dia antes de morrer com a filha em acidente com trem
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 9,2 mil novos casos