Menu
SADER_FULL
domingo, 11 de abril de 2021
Busca
Brasil

Brasil terá algodão transgênico próprio

9 Out 2004 - 09h53
A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) espera colocar no mercado, em 5 anos, a primeira variedade transgênica de algodão genuinamente brasileira, livrando a cotonicultura da praga do bicudo. "A tecnologia de cultivares geneticamente modificados não tem volta. Vai ser introduzida naturalmente, com a vantagem de minimizar custos de produção", afirma a pesquisadora Roseane Cavalcanti dos Santos, ao assinalar que os agricultores querem ver aprovada a Lei de Biossegurança. O custo médio de um hectare de algodão fica em torno de US$ 1 mil, 40% desse valor correspondem ao combate a pragas e doenças. Conforme a especialista, a tecnologia dos organismos geneticamente modificados é só mais uma ferramenta para o agricultor. "Ninguém será obrigado a utilizar essa tecnologia. O objetivo é tornar a agricultura competitiva e sustentável", afirma a pesquisadora, que defendeu tese de doutorado sobre o algodão transgênico no final do ano passado pela Universidade de Brasília (UnB).
 
Gazeta Mercantil

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo
CRISE NA PANDEMIA
Número de brasileiros que vivem na pobreza quase triplicou em seis meses, diz FGV