Menu
SADER_FULL
sexta, 14 de agosto de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
BANNER ECO TOUR
Brasil

Brasil cai para 10º no ranking de empreendedores

19 Abr 2007 - 05h50
O Brasil caiu de 7º para 10º no ranking de empreendedores entre 42 países, de 2005 para 2006, segundo pesquisa da GEM (Global Entrepreneurship Monitor), que mede as taxas de empreendedorismo mundial, divulgada pelo Sebrae nesta quarta-feira. São cerca de 13,7 milhões de empreendedores iniciais (que estão em fase de implantação do negócio ou que já o mantêm por até 42 meses).

Eles correspondem a 11,65% da população adulta de 118 milhões de brasileiros com 18 a 64 anos de idade.

A queda de 2006, em relação a 2005, é explicado pelo Sebrae pela entrada de novos países no consórcio GEM apresentando taxas superiores às brasileiras, como por exemplo, Uruguai, Filipinas e Colômbia.

A pesquisa GEM trabalha com duas categorias para montar o ranking mundial. Uma delas é a taxa de empreendedores em estágio inicial, medida a partir da pesquisa com a população adulta (18 a 64 anos) que está ativamente envolvida na criação de novos empreendimentos ou à frente de empreendimentos com até três anos e meio. A outra categoria é a de empresas estabelecidas há mais de três anos e meio (42 meses).

Na categoria de empreendedores iniciais, os países mais empreendedores são Peru (40,15%), Colômbia (22,48%), Filipinas (20,44%), Jamaica (20,32%), Indonésia (19,28%), China (16,19%), Tailândia (15,20%), Uruguai (12,56%) e Austrália (11,96%).

Já os cinco países menos empreendedores são Emirados Árabes (3,74%), Itália (3,47), Suécia (3,45%), Japão (2,90%) e Bélgica (2,73%).

Empresas estabelecidas

Os países que saem na frente na categoria de empresas estabelecidas são Filipinas (19,72%), Indonésia (17,62%), Tailândia (17, 42%), Peru (12,37%) e Brasil (12,09%), desbancando países como China (8,98%), Estados Unidos (5,42%) e Japão (4,76%).

Desde 2005, o GEM tem analisado também países em dois grupos segundo o PIB per capita: são os países de renda média e os de renda alta. Esse aspecto é considerado pela paridade de poder de compra, segundo o Sebrae.

Por essa análise, constatou-se que as taxas de empreendedorismo inicial tendem a ser mais altas nos países de renda média, devido a diversos fatores como perfil demográfico e valores culturais, por exemplo. A taxa de empreendedores em estágio inicial é relativamente menor nos países de alta renda, de modo especial nos países da União Européia e no Japão.
 
 
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

HORÓSCOPO DO DIA
HORÓSCOPO DO DIA: Veja a previsão de hoje 14/08/2020 para o seu signo
CARA DE PAU
Cliente põe o próprio cabelo em lanche e tenta não pagar. VEJA O VÍDEO
VIOLENCIA DOMESTICA
Veterinária é agredida por ex-namorado médico e diz que tem medo de dormir em casa
FRANGO COM CORONAVIRUS
Frango brasileiro com coronavírus preocupa e acende alerta a produtores de aves de MS
HORÓSCOPO DO DIA
Horóscopo de quinta-feira 13 de agosto de 2020
FÁTIMA DO SUL - VAMOS ADOTAR UM PET
Oi eu sou a Maya!, você não quer me adotar?, veja como fazer a adoção pela ONG em Fátima do Sul
FATALIDADE
Adolescente morre após encostar em carregador que estava na tomada
BORA PRA BONITO - MS
Os 10 melhores passeios em Bonito, Mato Grosso do Sul
COVID-19
Em sessão remota, Eduardo Rocha pede um minuto de silêncio pelas mais de 100 mil mortes por covid-19
AUXILIO EMERGENCIAL
Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em julho nesta quarta-feira