Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 4 de julho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Agora Argentina dificulta importação de autopeças brasileira

30 Jul 2004 - 14h50

Depois de colocar entraves para a importação de eletrodomésticos brasileiros, o governo argentino agora decidiu criar barreiras para as autopeças.

Na quarta-feira, o governo assinou decreto em que limita a 40% do valor total do automóvel a presença de autopeças importadas. O Brasil é o principal fornecedores de autopeças da Argentina.

A lei argentina também reduziu de 14% para 2% a tarifa de importação de autopeças produzidas fora do Mercosul. A medida tem como objetivo baratear a importação de peças produzidas fora da zona de comércio comum e, conseqüentemente, reduzir os custos de produção. Hoje a Argentina importa 29 tipos de autopeças.

O ministro da Economia da Argentina, Roberto Lavagna, irá se reunir na próxima semana com o fórum de competitividade do setor automotivo, que reúne montadoras e fabricantes de autopeças no país vizinho. Eles irão discutir novas estratégias para corrigir as "assimetrias" com o Brasil, segundo o diário "La Nacion".

No início do mês, a Argentina lançou uma série de medidas para reduzir as importações de eletrodomésticos brasileiros. Agora, os vizinhos miram os carros.

Entre as medidas que serão discutidas no fórum estão as sugestões para reforçar o mercado interno, como a melhoria do salário real e a oferta do crédito.

Segundo a Adefa (associação de fabricantes da Argentina), o país pode ser tão competitivo quanto o Brasil se as assimetrias forem eliminadas. A associação defende acordos comerciais com os EUA e com a União Européia.

Mais medidas

De acordo com o "La Nacion", nas próximas semanas o governo irá divulgar as melhorias no sistema de devolução de 10,5% do IVA (imposto sobre valor agregado) para a compra de máquinas.

As medidas protecionistas podem levar ao fracasso do regime automotivo do setor. O acordo, fechado em 2002, prevê a abertura total do mercado automotivo em 2006.

De acordo com a Adefa, o setor fará de tudo para cumprir os prazos, mas sempre terá em vista garantir o futuro da indústria automotiva na Argentina, segundo o jornal "Clarín".

O país deve produzir neste ano, segundo o "Clarín", 250 mil veículos.

No primeiro semestre o Brasil produziu 1,038 milhão de veículos, segundo a Anfavea (associação das montadoras).

Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

PREVENÇÃO COVID 19
Giovanna Antonelli viraliza ao mostrar truque para evitar contaminação
FEMINICÍDIO
Marido é preso após matar mulher asfixiada e na fuga causa acidente de carro e deixa 08 feridos
BORA PRA BONITO - MS - REABERTO
Hotel Águas de Bonito reabre com segurança e estrutura proporcionada para o aconchego em Bonito (MS)
BRASIL - 62.045 MORTES
Brasil passa de 62 mil mortes pelo novo coronavírus
COISA MEDONHA
Homem quebra túmulo e é visto dançando com o corpo da avó
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Exército abre seleção com vagas temporárias para MS e salários de até R$ 7,5 mil
FÁTIMA DO SUL - NOSSOS ANJOS DA GUARDA
Guerreiros de Fátima do Sul fazem semana de prevenção contra incêndio, hoje é dia do BOMBEIRO
BRASIL 60 MIL MORTES
Brasil tem 1.456.969 casos de Covid-19, aponta consórcio de veículos da imprensa em boletim das 8h
ELEIÇÕES 2020
Câmara dos Deputados aprova em primeiro turno adiamento das eleições municipais de 2020
100 INTERMEDIÁRIO
Venda direta de etanol das usinas para postos pode aumentar concorrência, diz Bolsonaro