Menu
LIMIT ACADEMIA
terça, 23 de abril de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Vivo é notificada pela Justiça, mas pode recorrer da decisão

27 Out 2004 - 08h13
A justiça já notificou a maior operadora de celular no Estado, a Vivo. De acordo com a determinação judicial, a empresa fica proibida de habilitar novos aparelhos e obriga a trocar os aparelhos dos clientes por tecnologias mais novas sem custos.


Por enquanto, a determinação só começa a valer quando essa notificação que foi assinada pelo diretor regional da empresa, seja anexada ao processo aberto pela Justiça de Jardim, o que deverá ocorrer em três dias.



A partir daí, a empresa precisa cumprir as determinações: parar de habilitar linhas e iniciar a troca dos aparelhos por tecnologia mais moderna sem custos aos clientes. Mas a empresa ainda pode recorrer dessa decisão.



Na reunião realizada ontem, dos diretores da empresa com o Ministério Público (MP), resultou em se fazer um termo de ajustamento de conduta, um acordo entre o MP e a empresa. Mas isso só vai ser fechado em novembro, quando acontece uma nova reunião. Nesse termo está previsto que a empresa indenize os clientes que tiveram problemas com os serviços.
 
 
TV Morena

Deixe seu Comentário

Leia Também

REVOLTANTE
Menina de seis anos que sumiu enquanto dormia é achada morta
100 GREVE
Governo fecha acordo com caminhoneiros e evita paralisação
CRÔNICA DA SEMANA
CRÔNICA DA SEMANA: 'Precisamos redescobrir o Brasil', por Luciano Gazola
CRUELDADE
Criança tinha o pênis amarrado com elástico e era torturada pelo pai e a madrasta
MORTE TRÁGICA
Adolescente de 13 anos morre após sofrer queda de bicicleta
ESTAVA FORAGIDO
Homem que matou esposa na Sexta-feira Santa morre em acidente 03 dias depois
FEMINICIDIO
Advogada é assassinada a facadas por marido após discussão
100 LUZ
Giselle Itié lamenta a morte de outro ex-namorado em apenas três meses
CENSURADO
Video com ataques de Olavo a Militares é excluido das Redes de Bolsonaro
DOENÇA DO SÉCULO
Yasmim Gabrielle, do ‘Programa Raul Gil’, se suicida após depressão