Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 19 de março de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Técnico do Arsenal protesta após convocação de Edu

20 Ago 2004 - 13h37
O técnico Arsene Wenger, do Arsenal, disse, nesta sexta-feira, que não concordou com a convocação do volante Edu, que atua pela equipe inglesa, para a partida contra o Haiti, na quarta-feira, e que a CBF teve uma atitude antiprofissional.

"Edu atuou 70 minutos. Eu acredito que isso é um desrespeito ao jogador e ao clube. Não é só uma atitude de desrespeito, mas de falta de profissionalismo. O Brasil tem 200 jogadores que podem atuar contra o Haiti", disse o treinador do Arsenal, atual campeão da liga inglesa.

O técnico havia dado três semanas de descanso para o jogador após a conquista da Copa América, em julho, no Peru. "Eu tentei proteger o Edu, mas ele foi selecionado após ter voltado e treinado apenas um dia", lamentou Wenger.

O Brasil venceu os haitianos por 6 a 0 no chamado "Jogo da Paz". O técnico Carlos Alberto Parreira já havia se envolvido em outra polêmica com clubes europeus e não contou com os jogadores que atuam nas equipes do Bayern (ALE) e do Milan (ITA). Os dois clubes não concordaram em liberar seus jogadores.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

FATALIDADE
Mulher morre ao cair de pé de abacate e bater cabeça na linha do trem
MANIACO SEXUAL
Pai flagra estupro da filha dentro de casa usando o celular, suspeito foi preso
FAMOSIDADES
Quem era Bettina antes do R$ 1 Milhão: Ela foi professora de balé, modelo e panfleteira
MENTOR DO MASSACRE
Polícia de Suzano apreende menor suspeito de planejar ataque
INTERNADO
Criança de 4 anos cai em poço de cinco metros de profundidade
RESGATADO
Cão abandonado em ilha estava sendo comido vivo por urubus
SEXTUPLOS
Americana dá à luz seis bebês em nove minutos
TRAGÉDIA EVITADA
Garoto de 11 anos leva faca na mochila para matar colega no ônibus escolar
ALERTA AOS PAIS
Menino de quatro anos corta os pulsos em Goioerê e pode ser influência da Momo
FAKE NEWS
Padre Fábio de Melo desmente texto atribuído a ele sobre o ataque em Suzano