Menu
LIMIT ACADEMIA
sábado, 19 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Renda agrícola prevista para 2007 já supera R$ 114 bilhões

18 Jun 2007 - 14h38

O aumento da estimativa do IBGE para a colheita brasileira de grãos em 2007, a confirmação de uma safra recorde de cana-de-açúcar e o aumento dos preços de alguns produtos, sobretudo a soja, levaram o Ministério da Agricultura a novamente ajustar para cima sua previsão para a renda agrícola ("da porteira para dentro") das 20 principais lavouras do país este ano. 

A mais recente projeção de José Garcia Gasques, coordenador de planejamento estratégico do ministério - realizada com dados disponíveis até maio e com valores deflacionados pelo IGP-DI da FGV - aponta para uma receita conjunta de R$ 114,5 bilhões, 1,14% acima do total calculado em abril (R$ 113,2 bilhões) e 13,8% superior ao resultado do ano passado (R$ 100,6 bilhões). 

Para o ajuste em relação ao horizonte traçado anteriormente, pesaram principalmente correções realizadas para trigo, cacau, milho, soja e café. Na comparação com abril, a renda do trigo subiu 6,58%, para R$ 1,6 bilhão, a do cacau foi elevada em 2,94%, para R$ 702,6 milhões, a do milho saltou 2,88%, para R$ 16,8 bilhões, a da soja registrou aumento de 2,31%, para R$ 27,4 bilhões, 2,31% mais, e a do café engordou 2,26%, para R$ 4,4 bilhões. 

Com as correções, as cinco lavouras com maior renda - soja, cana, milho, laranja e banana, nesta ordem passaram a representar 68,9% do total estimado. Em abril, a fatia prevista para 2007 chegava a 68,7%, e no ano passado a participação das "cinco mais" ficou em 66%. 

Esta elevada participação, entretanto, não é mal vista. Em 2003, ano em que a renda agrícola das 20 principais lavouras do Brasil bateu seu recorde histórico (R$ 123,8 bilhões), a fatia das cinco maior foi idêntica (68,9%), mas só a soja representou 31,5%. 

À luz dos novos cálculos de Gasques, na divisão regional da receita o Sudeste passou a responder por 36,7% do valor consolidado. Em seguida vêem as regiões Sul (28,9%) e Centro-Oeste (20,3%). No Sudeste, a renda disparou - foram R$ 35,3 bilhões em 2006 - em virtude do avanço dos canaviais; no Sul e no Centro-Oeste, é a recuperação dos grãos o principal alicerce da receita. 

Vale ressalvar, contudo, que sobretudo para o Centro-Oeste renda não é sinônimo de rentabilidade. Na região, principalmente por conta das altas dos fertilizantes e dos custos de transporte, mas também do câmbio e do elevado endividamento de muitos produtores, as margens estão comprometidas em especial nas plantações mais remotas ou menos eficientes do Mato Grosso. O cenário, afirmam especialistas, ameaça as previsões de aumento da área plantada no Estado na próxima safra (2007/08). 

Mas o grande destaque do levantamento do Ministério da Agricultura é mesmo a cana-de-açúcar. Só em São Paulo, maior produtor do país, a receita dos canaviais deverá atingir R$ 12,4 bilhões, 17% mais que no ano passado (R$ 10,6 bilhões) e 59% acima de 2005 (R$ 7,8 bilhões). Se confirmadas as projeções de Gasques, a cultura representará 54% da receita agrícola do Estado este ano - prevista em R$ 23 bilhões no total -, ante participação de 49,3% no ano passado.

 

 

TV Morena

Deixe seu Comentário

Leia Também

ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo Marciano morre aos 67 anos, vítima de enfarto
CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado
INSPIRAÇÃO
Idoso se forma em Direito aos 94 anos, após morte da esposa
POLEMICA
Movimento Gay quer tirar Bíblia de circulação no Brasil, diz Damares