Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 21 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Produção industrial cai em dez de 14 regiões pesquisadas

12 Jun 2007 - 05h50

A produção industrial registrou queda em dez das 14 regiões pesquisadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em abril ante março, na série com ajuste sazonal, segundo divulgado nesta segunda-feira. Todas as áreas com redução na produção tiveram taxas abaixo da média nacional - de -0,1%, divulgada na semana passada -, com destaque para Goiás (-4%) e Espírito Santo (-3%) com as quedas mais acentuadas.

Entre as áreas que tiveram ampliação da produção, o Rio Grande do Sul (2,9%) e o Rio de Janeiro (0,8%) alcançaram as taxas mais expressivas, enquanto Santa Catarina e São Paulo (ambas com 0,1%) "praticamente repetem" o patamar de produção do mês anterior .

Na comparação com abril do ano passado o resultado foi bem diferente e apontou crescimento em dez das 14 regiões investigadas. Nesse indicador (no qual o resultado na média nacional foi de 6%), os destaques positivos ficaram com o Rio Grande do Sul (16,1%) e o Paraná (13,2%).

Com expansão acima da média nacional estiveram ainda Minas Gerais (9,7%), Santa Catarina (8,7%) e Pernambuco (6,5%). Também com resultados positivos, porém abaixo do crescimento do País, aparecem: São Paulo (4,7%), Rio de Janeiro (4,5%), Amazonas (3,6%), Espírito Santo (2,1%) e Pará (1,3%).

Entre os locais que apresentaram quedas , as reduções mais acentuadas ocorreram em Goiás (-3,1%) e na Bahia (-6,7%).

São Paulo - A produção da indústria de São Paulo, em abril, ficou "praticamente estável" frente ao mês imediatamente anterior, já descontadas as influências sazonais, repetindo o desempenho de março, quando apresentou variação zero. O Estado responde por cerca de 40% da produção do País.

Na comparação com abril de 2006, a indústria paulista registrou a quarta taxa positiva consecutiva nesse indicador. No acumulado do primeiro quadrimestre deste ano houve crescimento de 3,4% e em 12 meses, de 3,2%.

Segundo o documento de divulgação do IBGE, na comparação com abril do ano passado houve predomínio de resultados positivos, que atingem 17 das 20 atividades pesquisadas no Estado, enquanto que em março eram 12 as que cresciam nesta comparação.

As principais contribuições positivas vieram de máquinas e equipamentos (16,6%), setor associado à produção de bens de capital , máquinas para escritório e equipamentos de informática (51,7%) e material eletrônico e equipamentos de comunicações (14,4%).

Já os impactos negativos vieram de refino de petróleo e produção de álcool (-5,1%), máquinas , aparelhos e materiais elétricos (-6,1%) e edição e impressão (-2,2%).

Agência Estado

Deixe seu Comentário

Leia Também

MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos