Menu
LIMIT ACADEMIA
terça, 13 de novembro de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Produção industrial cai em dez de 14 regiões pesquisadas

12 Jun 2007 - 05h50

A produção industrial registrou queda em dez das 14 regiões pesquisadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em abril ante março, na série com ajuste sazonal, segundo divulgado nesta segunda-feira. Todas as áreas com redução na produção tiveram taxas abaixo da média nacional - de -0,1%, divulgada na semana passada -, com destaque para Goiás (-4%) e Espírito Santo (-3%) com as quedas mais acentuadas.

Entre as áreas que tiveram ampliação da produção, o Rio Grande do Sul (2,9%) e o Rio de Janeiro (0,8%) alcançaram as taxas mais expressivas, enquanto Santa Catarina e São Paulo (ambas com 0,1%) "praticamente repetem" o patamar de produção do mês anterior .

Na comparação com abril do ano passado o resultado foi bem diferente e apontou crescimento em dez das 14 regiões investigadas. Nesse indicador (no qual o resultado na média nacional foi de 6%), os destaques positivos ficaram com o Rio Grande do Sul (16,1%) e o Paraná (13,2%).

Com expansão acima da média nacional estiveram ainda Minas Gerais (9,7%), Santa Catarina (8,7%) e Pernambuco (6,5%). Também com resultados positivos, porém abaixo do crescimento do País, aparecem: São Paulo (4,7%), Rio de Janeiro (4,5%), Amazonas (3,6%), Espírito Santo (2,1%) e Pará (1,3%).

Entre os locais que apresentaram quedas , as reduções mais acentuadas ocorreram em Goiás (-3,1%) e na Bahia (-6,7%).

São Paulo - A produção da indústria de São Paulo, em abril, ficou "praticamente estável" frente ao mês imediatamente anterior, já descontadas as influências sazonais, repetindo o desempenho de março, quando apresentou variação zero. O Estado responde por cerca de 40% da produção do País.

Na comparação com abril de 2006, a indústria paulista registrou a quarta taxa positiva consecutiva nesse indicador. No acumulado do primeiro quadrimestre deste ano houve crescimento de 3,4% e em 12 meses, de 3,2%.

Segundo o documento de divulgação do IBGE, na comparação com abril do ano passado houve predomínio de resultados positivos, que atingem 17 das 20 atividades pesquisadas no Estado, enquanto que em março eram 12 as que cresciam nesta comparação.

As principais contribuições positivas vieram de máquinas e equipamentos (16,6%), setor associado à produção de bens de capital , máquinas para escritório e equipamentos de informática (51,7%) e material eletrônico e equipamentos de comunicações (14,4%).

Já os impactos negativos vieram de refino de petróleo e produção de álcool (-5,1%), máquinas , aparelhos e materiais elétricos (-6,1%) e edição e impressão (-2,2%).

Agência Estado

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGEDIA
Ex-prefeito é morto pelo pai após ser confundido com assaltante
ACIDENTE DE TRANSITO
Caminhão passa por cima de veículos e explode em grave acidente
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Marilda (Letícia Spiller) é flagrada nua e finge ser uma assombração
BNDS
“Se não abrir a caixa preta do BNDES, está fora!”, diz Bolsonaro sobre Levy
FAMOSIDADES
Susana Vieira está com leucemia, mas a doença está controlado, diz assessoria
NOVELA GLOBAL
Marina Ruy Barbosa é a heroína de 'O sétimo guardião': 'Luz foge do tradicional'
CONSTRANGIMENTO
Claudia Leitte quebra silêncio e desabafa sobre polêmica com Silvio Santos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Concursos oferecem mais de 1 mil vagas e salários de até R$ 6,6 mil no MS
NOVA EQUIPE
Bolsonaro intensifica processo de transição esta semana em Brasília
ESPORTE EM TOUROS
VÍDEO: Peão de MS morre após ser pisoteado por touro em rodeio no interior de SP