Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 26 de maio de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Produção industrial cai em dez de 14 regiões pesquisadas

12 Jun 2007 - 05h50

A produção industrial registrou queda em dez das 14 regiões pesquisadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em abril ante março, na série com ajuste sazonal, segundo divulgado nesta segunda-feira. Todas as áreas com redução na produção tiveram taxas abaixo da média nacional - de -0,1%, divulgada na semana passada -, com destaque para Goiás (-4%) e Espírito Santo (-3%) com as quedas mais acentuadas.

Entre as áreas que tiveram ampliação da produção, o Rio Grande do Sul (2,9%) e o Rio de Janeiro (0,8%) alcançaram as taxas mais expressivas, enquanto Santa Catarina e São Paulo (ambas com 0,1%) "praticamente repetem" o patamar de produção do mês anterior .

Na comparação com abril do ano passado o resultado foi bem diferente e apontou crescimento em dez das 14 regiões investigadas. Nesse indicador (no qual o resultado na média nacional foi de 6%), os destaques positivos ficaram com o Rio Grande do Sul (16,1%) e o Paraná (13,2%).

Com expansão acima da média nacional estiveram ainda Minas Gerais (9,7%), Santa Catarina (8,7%) e Pernambuco (6,5%). Também com resultados positivos, porém abaixo do crescimento do País, aparecem: São Paulo (4,7%), Rio de Janeiro (4,5%), Amazonas (3,6%), Espírito Santo (2,1%) e Pará (1,3%).

Entre os locais que apresentaram quedas , as reduções mais acentuadas ocorreram em Goiás (-3,1%) e na Bahia (-6,7%).

São Paulo - A produção da indústria de São Paulo, em abril, ficou "praticamente estável" frente ao mês imediatamente anterior, já descontadas as influências sazonais, repetindo o desempenho de março, quando apresentou variação zero. O Estado responde por cerca de 40% da produção do País.

Na comparação com abril de 2006, a indústria paulista registrou a quarta taxa positiva consecutiva nesse indicador. No acumulado do primeiro quadrimestre deste ano houve crescimento de 3,4% e em 12 meses, de 3,2%.

Segundo o documento de divulgação do IBGE, na comparação com abril do ano passado houve predomínio de resultados positivos, que atingem 17 das 20 atividades pesquisadas no Estado, enquanto que em março eram 12 as que cresciam nesta comparação.

As principais contribuições positivas vieram de máquinas e equipamentos (16,6%), setor associado à produção de bens de capital , máquinas para escritório e equipamentos de informática (51,7%) e material eletrônico e equipamentos de comunicações (14,4%).

Já os impactos negativos vieram de refino de petróleo e produção de álcool (-5,1%), máquinas , aparelhos e materiais elétricos (-6,1%) e edição e impressão (-2,2%).

Agência Estado

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - VISITA ILUSTRE
Em Bonito (MS), Miss Brasil Júlia Horta destaca 'A energia daqui é inexplicável'
COISA DE DOIDO
Sucuri ataca bombeiro durante resgate em SP; assista!
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Governo dobra vagas de concurso da PF e convocações saem no fim do ano
FEMINICIDIO
Mulher é morta com 75 facadas pelo ex-marido após 25 anos de casamento
NEGLIGÊNCIA FUNCIONAL
'Peguei meu filho e achei que estivesse morto', diz mãe de criança dopada em creche
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
Confira o que tá na promoção que vai até este sábado no O Boticário em Fátima do Sul
BONITO - MS - DICA AGÊNCIA ECO TOUR
Visite Bonito (MS) na baixa temporada, saiba o porquê!
FÁTIMA DO SUL - TRATAMENTO COACH
De Nova Andradina, Vanessa recupera autoestima com tratamento 'Coach' Célia Tenório de Fátima do Sul
CASA BOCA SUJA
morador instala placas com palavrões nos muros de casa
MACABRO
Mulher é encontrada morta ao lado de uma oferenda