Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 12 de novembro de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Produção industrial cai 0,1% em abril após seis altas seguidas

5 Jun 2007 - 09h36

A produção industrial brasileira registrou queda de 0,1% em abril, interrompendo uma seqüência de seis meses consecutivos de alta.

A média móvel trimestral --indicador de tendência-- apontou expansão de 0,6% entre o trimestre encerrado em abril e o trimestre encerrado em março.

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, a indústria apresentou expansão de 6% no nível de atividade. Analistas consultados pela Folha Online esperavam por alta de 5% e 6,2%.

A queda de 0,1% ficou abaixo das expectativas dos analistas consultados pela Folha Online, que previam crescimento entre 0,1% e 1,3%.

No ano, a indústria acumula expansão de 4,3%. Nos últimos 12 meses, o indicador apresenta alta de 3,3%.

Segundo o IBGE, o segmento que mais contribuiu para o desempenho negativo da produção industrial foi o de Alimentos, que recuou 1,9% após cinco resultados positivos. Outros setores que também tiveram peso negativo foram perfumaria e produtos de limpeza (-5,7%), material eletrônico e equipamentos de comunicações (-3,4%), refino de petróleo e produção de álcool (-1,2%).

Por outro lado, as contribuições positivas tiveram destaque em produtos químicos (2,3%) e bebidas (4,3%).

Os bens intermediários, que detêm o maior peso no índice, caíram 0,6% em abril ante março. Os bens de consumo semi e não-duráveis avançaram 0,8%.

Os bens de capital caíram 1,2%. O bens de consumo duráveis tiveram queda de 1,4%.

Segundo o IBGE, a alta de 6% da produção industrial significa o melhor desempenho desde junho de 2005, quando a alta havia sido de 6,4%. Os ramos industriais que apresentaram melhor evolução nessa base de comparação foram máquinas e equipamentos (20,5%), veículos automotores (11,2%) e alimentos (4,9%).

Por categoria de uso, o segmento de bens de capital liderou o crescimento com alta de 17,4%, ritmo muito acima da média da indústria. O crescimento atingiu todos os subsetores: os bens de capital para transporte cresceram 13,3%; os bens de capital para uso misto subiram 12,8%; para fins industriais cresceram 23,2%; para energia elétrica, 20,6%; para construção, 23,3%; e para fins agrícolas, 39,4%.

O crescimento da industria em março foi revisado para cima, de 1,2% para 1,3% (já com ajuste sazonal).

 

 

 

Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

CONSTRANGIMENTO
Claudia Leitte quebra silêncio e desabafa sobre polêmica com Silvio Santos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Concursos oferecem mais de 1 mil vagas e salários de até R$ 6,6 mil
NOVA EQUIPE
Bolsonaro intensifica processo de transição esta semana em Brasília
ESPORTE EM TOUROS
VÍDEO: Peão de MS morre após ser pisoteado por touro em rodeio no interior de SP
ULTIMO CAPITULO
Globo exibe último capítulo de Segundo Sol e assunto bomba
DE GLÓRIA DE DOURADOS PARA O MUNDO
Ana Karla é convidada especial da Hyundai para um talk show neste sábado em São Paulo
1ª INDIGENA NO GOVERNO
Índia da equipe de Jair Bolsonaro já atuou com Cauã Reymond e foi moradora de rua
FINAL DE NOVELA
Valentim beija Rosa em gravação que vai ao ar no fim de 'Segundo sol'; veja mais detalhes
MS CONTEMPLADO
Tereza Cristina Dias do MS é confirmada para ser ministra
EFEITO CASCATA
Bolsonaro vê com 'preocupação' aumento para ministros do STF