Menu
SADER_FULL
terça, 20 de agosto de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Pesquisa do IBGE faz retrato do 1º ano do governo Lula

30 Set 2004 - 07h00
A taxa de desemprego do País subiu para 9,7% em 2003, ante 9,2% em 2002, segundo mostraram os resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), divulgada hoje pelo IBGE. Segundo a pesquisa, a população ocupada aumentou 1,4% de 2002 para 2003. O crescimento foi menos da metade do captado pela PNAD de 2001 para 2002 (3,6%). Em números absolutos, ainda segundo a pesquisa, a expansão na população ocupada foi de 1,1 milhão de 2002 para 2003, também bastante inferior aos 2,7 milhões de novos ocupados registrados de 2001 para 2002. A PNAD 2003 traz um retrato do primeiro ano do governo Lula. Para a realização da pesquisa, o IBGE visitou 133.255 domicílios em todo o País, com exceção do Norte rural, em setembro de 2003.

A renda dos trabalhadores também caiu em 2003, com redução de 7,4% ante 2002 a maior queda nesse indicador de um ano para o outro registrada desde 1997 - confirmando que o primeiro ano do governo Lula foi difícil para o mercado de trabalho no País. As perdas acumuladas na renda de 1996 a 2003 chegou a 18,8%.

A boa notícia é que, no caso do trabalho infantil, a situação melhorou de 2002 para 2003. Enquanto em 2002 a proporção de crianças de 5 a 9 anos que trabalhavam era de 1,7%, em 2003 era de 1,3%. No grupo de 10 a 14 anos, o porcentual dos que trabalham passou de 11,3% em 2002 para 10,4% em 2003. No entanto, segundo a PNAD, apesar da queda porcentual, existiam no ano passado 208,9 mil crianças de 5 a 9 anos trabalhando (sendo que 155,8 mil no setor agrícola) e, de 10 a 14 anos, o número de crianças que trabalhavam chegava a 1,69 milhão.

Rede de esgoto

O atendimento por rede coletora de esgoto foi o que mais cresceu, entre os serviços básicos, em 2003, na comparação com o ano anterior. O número de domicílios que dispunham de esgotamento sanitário adequado (existente quando a instalação sanitária é ligada à rede coletora de esgoto ou a fossa séptica) cresceu 4,6% de 2002 para 2003. No caso do abastecimento de água, o crescimento no número de moradias atendidas no período foi de 4%.

O número de moradias com serviço de coleta de lixo cresceu 4,3% e o número de domicílios com iluminação elétrica, 3,7%. Houve crescimento também (3,9%) nos domicílios com telefonia. Em termos da cobertura dos serviços, em 10 anos, a maior permaneceu com a energia elétrica. Apenas 3% das habitações pesquisadas não contavam com o serviço em 2003, ante 10% em 1993. A menor cobertura continuou sendo do esgotamento sanitário adequado, mesmo com as melhorias registradas nos últimos 10 anos. Em 2003, 31% das moradias não dispunham do serviço, ante 41% em 1993.

Telefonia

A PNAD 2003 mostrou que o aumento da oferta de serviços de telefonia fez com que a proporção de domicílios com telefone no País triplicasse em 10 anos, passando de 19,8% (1993) para 62% (2003). A expansão do número de moradias com telefone de 2002 para 2003 (3,9%) foi resultado do aumento dos domicílios em que havia linha móvel celular (15,1% de crescimento de 2002 para 2003), já que houve uma pequena queda (-0,7%) no número de domicílios que possuiam linha fixa convencional. Desse modo, o porcentual de domicílios com linha fixa diminuiu de 52,8% em 2002 para 50,8% em 2003.

A pesquisa do IBGE mostra também que, de 2002 para 2003, o número de domicílios atendidos exclusivamente por linha móvel celular cresceu 31,3%, o dobro do crescimento que havia sido registrado de 2001 para 2002 (15,4%). Na análise do IBGE, "esses resultados podem ser um indicativo do uso desse tipo de linha, importante para a comunicação fora da moradia, para suprir a falta da linha fixa".

Bens duráveis

No que diz respeito ao consumo de bens duráveis, a PNAD 2003 revelou que o número de domicílios com geladeiras continua em crescimento no País. Em 10 anos, de 1993 a 2003, a proporção de habitações com geladeira subiu de 71,8% para 87,3%. No caso das máquinas de lavar, o porcentual de domicílios com esse eletrodoméstico passou de 24,3% em 1993 para 34,4% em 2003. Já o porcentual de habitações com televisão passou de 75,8% em 1998 para 90% em 2003, enquanto os com rádio passaram de 85,1% para 87,8% no período.

No caso dos microcomputadores, a existência do produto nas residências só começou a ser pesquisada pelo IBGE em 2001, quando a PNAD daquele ano constatou que 12,6% dos domicílios tinham esse equipamento. Em 2003, a proporção de domicílios com computador subiu para 15,3% e a proporção dos que tinham computadores ligados à Internet chegou a 11,4%.

Pessoas por domicílio

O número médio de pessoas por domicílio passou de 4,0 em 1993 para 3,6 em 2003. Segundo o IBGE, um dos fatores determinantes da tendência de queda no período foi a progressiva diminuição no número médio de filhos por mulher. A pesquisa mostrou também um aumento significativo no porcentual de domicílios com apenas um morador no período, passando de 7,2% em 1993 para 10,2% em 2003.

Educação

A PNAD 2003 "mostrou o avanço na situação educacional do País", segundo o IBGE. A pesquisa revelou que a parcela das crianças entre 5 e 6 anos de idade que não freqüentavam a escola caiu de 42,3% em 1993 para 21,3% em 2003. Houve diminuição forte dos que estavam fora da escola também no grupo de pessoas de 7 a 14 anos (11,4% para 2,8%) e de 15 a 17 anos (38,1% para 17,6%). A taxa de analfabetismo das pessoas de 10 anos ou mais de idade passou de 15,6% em 1993 para 10,6% em 2003.

 

Estadão

Deixe seu Comentário

Leia Também

100 PENA
'Não tem que ter pena', diz Jair Bolsonaro sobre uso de atirador de elite após sequestro de ônibus
ACIDENTE TRÁGICO
Morte de três profissionais em acidente comove a cidade
100 TETO
Na busca por emprego, homem 'mora' em abrigo de papelão
PÂNICO NO ÔNIBUS
Atirador de Elite mata homem que fez reféns em ônibus
AGORA DEU MEDO
Velório é interrompido após morto 'apertar' mão da esposa
TRAGEDIA NA RODOVIA
Três pessoas morrem em acidente envolvendo carro e caminhão na BR-277
FATALIDADE
Jovem mulher morre ao levar choque usando o secador de cabelos
ABSURDO - BRASIL
Mulher mata o marido a facadas e leva pênis para a amante dentro de um copo
MORTE E COMOÇÃO
Jovem caminhoneira morre em acidente e comove colegas de toda a região
FACULDADE
Irmãs estudantes de engenharia vendem doces nos trens do Rio para se sustentar