Menu
SADER_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

"Não se brinca com o Brasil" diz Parreira

26 Jul 2004 - 09h22
Carlos Alberto Parreira costuma ser comedido, nos momentos de tensão e de alegria. Mas neste domingo deixou de lado um pouco o estilo altivo e não conteve a emoção. Assim que terminou a partida, enquanto os jogadores comemoravam a conquista no centro do campo, o treinador tetracampeão do mundo mandou o recado para os argentinos. “Quiseram pisar na bola e fazer gracinha”, desabafou. “Não se brinca com o futebol brasileiro.”

O recado era para Tevez, o irrequieto atacante que decidiu brincar nos últimos minutos do tempo normal, logo depois do gol de Delgado que deixava a Argentina com a mão na taça pela 15ª vez. Parreira, em seguida, se recompôs, reconheceu que a emoção era grande e transferiu o sucesso para o jovem grupo que levou para o Peru. “Os jogadores ganharam confiança durante a competição”, lembrou. “A evolução foi natural.”

Parreira preocupou-se mais no primeiro tempo, quando a pressão argentina era maior. A marcação no meio-campo era um tormento. “Eles movimentavam-se muito, com qualidade, e isso dificultava o trabalho de Renato, Edu e Kleberson”, admitiu. “É uma equipe sempre difícil de marcar. Tínhamos de equilibrar as jogadas pelo meio.” Mas, como o empate havia chegado em cima da hora, preferiu não mudar. As alterações ficaram para o segundo tempo e foram mais táticas.

Parreira ‘contaminou-se’, de certa forma, pela empolgação de Zagallo. O coordenador da seleção, 73 anos, comemorou como garoto. E, para variar, viu indícios de sorte no resultado. “Brasil campeão ou Argentina vice têm 13 letras”, brincou.

 

Estadão

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Aposentadoria é para viver, não para receber só à beira da morte
CHANTAGEM
Ladrões invadem estabelecimentos, obrigam funcionárias a tirarem a roupa, filmam e extorquem vítimas
FORAGIDO
Atirador invade escritório de advocacia e mata duas pessoas
BBB 19
Rízia chora por estar acorrentada: 'Vontade de desistir'