Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 19 de novembro de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

MPE pede anulação de concurso em Japorã

25 Jun 2007 - 15h34
A Promotoria de Justiça de Mundo Novo propôs na última sexta-feira, dia 22, Ação Civil Pública em face do Município de Japorã, buscando a nulidade do concurso público encerrado no início deste ano. A Promotora de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social, Bianka Karina Barros da Costa explicou que foi procurada pelos Vereadores de Japorã e por vários candidatos descontentes com a forma em que o concurso foi realizado. Diante de tais reclamações, instaurou o PIP 01/2007, dando início à apuração dos fatos.

“Durante a instrução do feito, ficou demonstrado uma série de irregularidades, entre elas a falta de uma metodologia e atenção na conferência dos títulos apresentados em tal fase do concurso,” informou a Promotora, acrescentando que “tal falta de cuidado na recepção de títulos, permitiu a apresentação de documentos falsos por mais de cinqüenta candidatos”. As irregularidades permearam não só a fase de títulos, mas a objetiva e prática.

Na fase objetiva, o que mais alarmou os candidatos foi a falta de organização pelos responsáveis, os quais reclamaram de comunicação irregular entre os avaliados, não recolhimento de celulares, entrega trocada de caderno de provas e folha resposta, ausência de fiscais nas salas e nos corredores e, inclusive, sala sendo fiscalizada por pessoa menor de idade.

Na fase prática os candidatos também sofreram com a falta de equipamento para serem avaliados ou a má conservação dos que lhes eram oferecidos. Já os professores não se mostraram contentes com a falta de critérios objetivos em suas avaliações, deixando margem para a violação da lisura do certame.

O conjunto de todas as irregularidades comprovadas na instrução não deixou outra alternativa legal senão a propositura da ação civil pública, onde se espera a decretação liminar de cancelamento das nomeações até então realizadas pelo Município de Japorã e a suspensão de futuras nomeações. Ao fim da ação, a Promotora de Justiça espera que seja anulado o concurso e realizado um novo, onde deverão ser observados todos os princípios inerentes à contratação pública, entre eles o da eficiência, moralidade e isonomia.
 
 
MS Notícias

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem que matou filho para defender a nora comete suicídio
INJUSTIÇA
Familiares prestam homenagem a laçador de cães que morreu após ser hostilizado
FORAGIDO
Mulher é morta a facadas pelo ex-marido, que não aceitava fim de relacionamento
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Valentina conta a Egídio que Gabriel é filho dele
CRUELDADE
Idosa de 106 anos é assassinada a pauladas no Maranhão
NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)