Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 19 de junho de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

"Morro de vontade de voltar a jogar", afirma Kaká

10 Set 2010 - 11h12Por Gazeta Esportiva

Treinando em média cinco horas por dia entre exercícios físicos e fisioterapia, o meia Kaká se mostrou animado com a recuperação da cirurgia no joelho esquerdo, feita há um mês. De acordo com o que contou ao jornal espanhol Marca, o brasileiro está evoluindo bem enquanto morre de vontade de voltar aos gramados europeus pelo Real Madrid.

"Morro de vontade de voltar a jogar. É muito difícil assistir às partidas, porque gostaria de ajudar de uma forma direta", afirmou o atleta, contando os dias para poder atuar. A expectativa é que retome os treinos com bola nas próximas três semanas. "Estou fazendo tudo o que está ao meu alcance para voltar a jogar e a fazê-lo bem", completou.

Apesar da vontade afirmada pelo meia brasileiro, o médico do Real Madrid, Carlos Díez, pediu calma para não prejudicar o processo. "Temos que ser cautelosos, porque é a segunda intervenção no mesmo joelho. Ele também tem que recuperar o púbis", afirmou. As dores no local operado diminuíram muito e não incomodam mais, segundo Kaká.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VIDA SEDENTARIA
OMS alerta: Criança menor de 3 anos não deve ficar nem um minuto em tablet ou celular
HOMICIDIO X SUICIDIO
Pai que matou o filho de 4 anos e se matou não se conformava com namoro da ex-mulher
DOENÇA DO SÉCULO
Jovem de 19 anos, com depressão comete suicídio e comove amigos
ASSASSINATO CRUEL
O massacre do menino Rhuan e o silêncio da grande mídia
FAMOSIDADES
Homem discute com mulher e mata bebê de quatro meses
SOLIDARIEDADE
Bebê nasce sem os olhos e mobiliza cidade do Paraná
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Pai mata filho de quatro anos e se mata por não aceitar fim do relacionamento
ASSASSINATO
Marido da deputada é morto a tiros
MULHER DO PRESIDENTE
Esposa de Jair Bolsonaro cai na internet, fotos íntimas são exibidas e todos ficam sem acreditar
DOURADOS - MANIFESTAÇÕES
Dono da Havan manda 'recado' a manifestantes após protesto em frente a loja de Dourados