Menu
SADER_FULL
domingo, 17 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

México aceita ajuda do Brasil para identificação de vítimas da chacina

3 Set 2010 - 14h26Por Agência Brasil

O governo do México aceitou a oferta do Brasil para que peritos da Polícia Federal ajudem na identificação de 31 corpos dos 72 imigrantes vítimas do massacre ocorrido há cerca de duas semanas na fronteira do país com os Estados Unidos. Nas próximas horas, devem ser definidos o número de policiais federais que serão colocados à disposição e os detalhes sobre as atividades que eles vão desenvolver em parceria com os mexicanos. As informações são de diplomatas que acompanham o caso.

Até ontem (2) à noite, as autoridades mexicanas confirmavam a localização de 72 corpos, dos quais 41 foram identificados - entre eles apenas um brasileiro, Juliard Aires Fernandes, de 20 anos. Foram encontrados documentos de outro brasileiro, Hermínio Cardoso dos Santos, de 24 anos.

O massacre ocorreu há quase duas semanas em uma fazenda na região de Reynosa, no estado de Tamaulipas, na fronteira do México com os Estados Unidos. O crime é atribuído a cartéis de tráfico de pessoas e drogas. A principal suspeita, segundo as autoridades mexicanas, recai sobre o grupo La Zetas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

OUTROS 10 ESTADOS
Horário de verão termina à meia-noite; relógios devem ser atrasados em 1h
BARBÁRIE
Rosane Santiago Silveira, torturada e morta em sua própria casa
CARRO DE APLICATIVO
Mulher é estuprada após aceitar água e bala em carro de app
VIOLENCIA DOMESTICA
Enquanto Lírio Parisotto era condenado, Luiza Brunet discutia campanha contra violência doméstica
CANALHA
Criança de 4 anos é estuprada no próprio aniversário
HORARIO DE VERÃO
Atrase seu relógio! Horário de verão termina neste sábado(16)
CARCERE PRIVADO
Mulher é chicoteada com fio elétrico pelo marido
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Lutador de MMA mata ex de 16 anos, tenta suicídio e morre horas depois em hospital
VIOLENCIA NO RIO
Menina de 11 anos é baleada e morta em Triagem; moradores protestam
DOENÇA GRAVE
Leiliane ganha acompanhamento médico após desastre com Boechat