Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 16 de dezembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Lula e a CBF planejam amistoso "solidário" contra Haiti

29 Jun 2004 - 16h18
O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, disse hoje, terça-feira, que está sendo estudada a possibilidade de que a seleção brasileira dispute um amistoso contra o time nacional do Haiti.

A data prevista para esta partida, que seria disputada no Haiti, é o dia 18 de agosto, e a idéia tem apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que ouviu a sugestão de Ricardo Teixeira hoje.

"Ronaldo e o técnico Carlos Alberto Parreira já disseram que querem participar", declarou Teixeira aos jornalistas, depois de uma reunião com Lula, que também poderia assistir o encontro.

Teixeira assinalou que o "Haiti é um país muito pobre e merece que todos os brasileiros dêem sua contribuição".

 

EFE



Lula expressou seu desejo de estar presente e assegurou que "fará todo o possível para ir", disse o ministro dos Esportes, Agnelo Queiroz, que também participou da reunião.

Queiroz e Teixeira indicaram que o dia 18 de agosto foi escolhido para tentar aproveitar uma provável viagem de Lula à República Dominicana, onde, no dia 16, presenciará a posse do presidente eleito Leonel Fernández, que substituirá o atual governante, Hipólito Mejía.

Militares brasileiros acabaram de assumir o comando da chamada Missão para a Estabilização do Haiti da ONU (MINUSTAH).

Diplomatas brasileiros apoiados por militares do país e autoridades haitianas verificarão, entre outros pontos, as medidas de segurança necessárias para proteger os jogadores durante o amistoso.

"Acho que devemos ver o jogo desde o ponto de vista humanitário", disse Teixeira.

O ministro de Esportes assinalou que a realização da partida comprovaria "o significado da força do futebol brasileiro como ação humanitária, contribuindo para o processo de paz no Haiti".

Ele comentou que Lula propôs a troca de ingressos por armas, para tentar colaborar com o desarmamento da população haitiana.

Além de enviar 1.200 soldados à ex-colônia francesa, que junto a efetivos argentinos, chilenos, canadenses e de outros países tentam garantir a paz e a ordem no Haiti, o Brasil também quer contribuir com outras ações esportivas.

O país enviou mil de bolas de futebol e camisetas da seleção brasileira para incentivar os haitianos a deixar de lado possíveis diferenças políticas e ideológicas e melhorar sua integração social.

O ministro Queiroz informou que nos próximas dias o Brasil doará mais 5.000 camisas e bolas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ACIDENTE
Criança de dois anos se enforca com a alça da bolsa enquanto brincava em escola
CASO JOÃO DE DEUS
Marina Ruy Barbosa intervém no caso João de Deus e impede uma grande tragédia
PRISÃO DECRETADA
Justiça de Goiás decreta prisão de João de Deus
STARTUPS NO BRASIL JÁ É SUCESSO
O sucesso das startups no Brasil e algumas novas apostas no mercado
REVOLTANTE
Filha de João de Deus diz que foi abusada dos 10 aos 14 anos: 'Meu pai é um monstro'
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Robério beija Marcos Paulo e a agride ao descobrir que ela é trans
DESTAQUE MUNDIAL
Dois brasileiros estão no Top 50: melhores professores do mundo
JUSTIÇA - WHATSAPP
Administradora de grupo no WhatsApp, foi “condenada” á pagar 3 mil por discussão de membros
DICAS DE SERVIÇO DE HOSPEDAGEM NA WEB
Vai criar um blog ou um site?, saiba aqui tudo sobre o serviço de hospedagem
ALERTA NA NET
Golpe no WhatsApp engana usuários ao prometer brindes falsos de Natal