Menu
SADER_FULL
sexta, 19 de julho de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Lula e a CBF planejam amistoso "solidário" contra Haiti

29 Jun 2004 - 16h18
O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, disse hoje, terça-feira, que está sendo estudada a possibilidade de que a seleção brasileira dispute um amistoso contra o time nacional do Haiti.

A data prevista para esta partida, que seria disputada no Haiti, é o dia 18 de agosto, e a idéia tem apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que ouviu a sugestão de Ricardo Teixeira hoje.

"Ronaldo e o técnico Carlos Alberto Parreira já disseram que querem participar", declarou Teixeira aos jornalistas, depois de uma reunião com Lula, que também poderia assistir o encontro.

Teixeira assinalou que o "Haiti é um país muito pobre e merece que todos os brasileiros dêem sua contribuição".

 

EFE



Lula expressou seu desejo de estar presente e assegurou que "fará todo o possível para ir", disse o ministro dos Esportes, Agnelo Queiroz, que também participou da reunião.

Queiroz e Teixeira indicaram que o dia 18 de agosto foi escolhido para tentar aproveitar uma provável viagem de Lula à República Dominicana, onde, no dia 16, presenciará a posse do presidente eleito Leonel Fernández, que substituirá o atual governante, Hipólito Mejía.

Militares brasileiros acabaram de assumir o comando da chamada Missão para a Estabilização do Haiti da ONU (MINUSTAH).

Diplomatas brasileiros apoiados por militares do país e autoridades haitianas verificarão, entre outros pontos, as medidas de segurança necessárias para proteger os jogadores durante o amistoso.

"Acho que devemos ver o jogo desde o ponto de vista humanitário", disse Teixeira.

O ministro de Esportes assinalou que a realização da partida comprovaria "o significado da força do futebol brasileiro como ação humanitária, contribuindo para o processo de paz no Haiti".

Ele comentou que Lula propôs a troca de ingressos por armas, para tentar colaborar com o desarmamento da população haitiana.

Além de enviar 1.200 soldados à ex-colônia francesa, que junto a efetivos argentinos, chilenos, canadenses e de outros países tentam garantir a paz e a ordem no Haiti, o Brasil também quer contribuir com outras ações esportivas.

O país enviou mil de bolas de futebol e camisetas da seleção brasileira para incentivar os haitianos a deixar de lado possíveis diferenças políticas e ideológicas e melhorar sua integração social.

O ministro Queiroz informou que nos próximas dias o Brasil doará mais 5.000 camisas e bolas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VICENTINA SENDO REPRESENTADA NO RJ
Vicentina será representada no Internacional de Masters South América de Jiu-jitsu no Rio de Janeiro
POLITICA
'Falar que passa-se fome no Brasil é uma grande mentira', afirma Bolsonaro
NOVELA GLOBAL
Maria da Paz se recusa a enxergar caráter de Josiane em 'A dona do pedaço'
REGIME SEMIABERTO
Goleiro Bruno deve sair da cadeia no fim da tarde desta sexta-feira
CASO RARO
Bezerro de seis patas chama atenção moradores de Santa Helena – Veja Vídeo
MONSTRUOSIDADE
Vizinho é preso suspeito de estuprar e estrangular menina de 8 anos
CASA PRÓPRIA
Recurso de R$ 1 bilhão é destinado ao Minha Casa, Minha Vida
VIDA SAUDÁVEL
Homem mais velho do Brasil falece no Rio de Janeiro
BASTA DE IMPRUDÊNCIA
Enlutada pelas mortes, população deixa faixa contra imprudência na PR-082
VIOLENCIA
Motorista atropela manifestantes do MST e mata um idoso