Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 21 de abril de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Jornalistas discutem Conselho e cobertura política

17 Set 2004 - 15h19
A relação entre a mídia e o Poder Legislativo foi debatida hoje no ciclo de palestras sobre o Parlamento Brasileiro promovido pelo Congresso para jornalistas. Na abertura do evento, o presidente do Senado, José Sarney, classificou a proposta de criação do Conselho de Jornalismo como "um momento de infelicidade". Em sua avaliação, o Conselho não deve prosperar.
Nos debates de ontem, o presidente da Câmara, João Paulo Cunha, disse que o Governo errou ao enviar à Casa a proposta de criação do Conselho Federal de Jornalismo sem antes discuti-la com o Legislativo e com as entidades envolvidas.
As jornalistas Eliane Cantanhêde, do jornal Folha de S. Paulo, e Tereza Cruvinel, de O Globo, que participaram das palestras de hoje, também se posicionaram em relação à criação do Conselho. Tereza concordou com o presidente João Paulo Cunha. “O Governo se equivocou em mandar o projeto para o Congresso sem um debate prévio. Com sua mentalidade sindical, o Governo achou que a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) representava a classe, o que não ocorre”, explicou.
Eliane disse que um olhar externo sobre o jornalismo não a incomoda, mas sim a criação de uma autarquia sob a responsabilidade do Governo. “Nós queremos um jornalismo independente”, concluiu.

Cobertura superficial
Eliane Cantanhêde e Tereza Cruvinel fizeram um “mea culpa” e criticaram a forma com que a cobertura do Congresso Nacional é feita. “Nós não descutimos temas que estão sendo debatidos no Congresso, mas sim brigas políticas e plenário vazio, esquecendo os assuntos que são importantes para a nossa sociedade”, disse Cantanhêde, acrescentando que o Congresso é muito mais que o Plenário. “Esse mundo é muito maior do que o Plenário. Mais do que questões políticas, estamos discutindo a lei”, enfatizou.
Para Tereza Cruvinel, Imprensa e Parlamento são complementares. “É através dos meios de comunicação que a população pode ter uma sintonia com os seus representantes”, disse. Assim como Eliane, Tereza apontou como o principal erro do jornalismo político o foco no jogo político e não na atividade-fim do Congresso. Em sua opinião, outros desvios de cobertura são a fiscalização mais intensa no Legislativo que nos demais poderes, o foco na elite parlamentar e o enfoque governista.
Eliane fez ainda uma crítica ao Governo: “o governo do PT tem uma dificuldade enorme de conviver com a Imprensa”, afirmou, referindo-se às críticas de denuncismo que Imprensa sofre. A jornalista destacou ainda a blindagem que o Governo também quer impor aos funcionários públicos. “Os funcionários públicos não devem servir ao governo de plantão, mas sim à democracia”.
 
 
Agência Câmara

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - DICA AGÊNCIA ECO TOUR
Confira agora os 5 passeios mais românticos de Bonito (MS)
EM ÁUDIO VAZADO
Em áudio, Onyx diz que governo deu 'uma trava na Petrobras', caminhoneiros podem ficar sossegados
EMOÇÃO E RECOMEÇO
Mãe e filho se reencontram em hospital após desabamento de prédios
ACIDENTE FATAL
Três morrem em explosão provocada por vazamento de botijão de gás
NOVA PARALISAÇÃO
Ala dividida de caminhoneiros falam em greve no próximo dia 29 em todo o Brasil
CAMPO BELO RESORT - PARAÍSO É AQUI
Com noite Árabe e Italiana, PACOTE do dia 03 a 05 de maio já disponível para o Campo Belo Resort
NEGLIGÊNCIA FUNCIONAL
Menino de 12 anos foge de casa, burla esquema de segurança e embarca em avião
DEU RUIM
Vítima reage e mata assaltante que tentava roubar camioneta em Toledo – ASSISTA VÍDEO
PAI MONSTRO
Pai é preso suspeito de estuprar e engravidar a filha de 11 anos
15 METROS DE ALTURA
MILAGRE – Menina de um ano que caiu do 4º andar de prédio não sofreu nenhuma fratura