Menu
SADER_FULL
domingo, 23 de setembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
DR. SHAPE
RADAR INDUSTRIAL

Indústrias lideram geração de empregos no mês de junho em MS

19 Jul 2010 - 08h40Por Fátima News com assessoria

O segmento indústria de transformação foi o que mais abriu novas vagas em Mato Grosso do Sul no mês passado

 

 

O setor industrial de Mato Grosso do Sul, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, foi o responsável por 42% dos 3.177 postos formais de trabalho criado no mês de junho, ou seja, 1.335 novas vagas de emprego, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego. Trata-se do quarto melhor resultado da série histórica para o mês de junho no Estado, ficando atrás somente dos saldos obtidos em junho dos anos de 2000, 2008 e 2004, quando foram geradas 3.854, 3.509 e 3.483 vagas, respectivamente.

 

 

Já na comparação com junho de 2009, constata-se que o saldo líquido de novos empregos cresceu 64%, quando o resultado foi de 1.937 novas vagas. No ano, em termos absolutos, quando comparado com as demais Unidades da Federação, Mato Grosso do Sul apresentou a 12ª maior expansão, enquanto, em termos relativos, o Estado apresentou a 7ª maior expansão, equivalente a 5,31% sobre o estoque de empregos verificados ao fim de 2009, crescimento acima da média nacional e também do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Amazonas, Bahia, Ceará, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo.

 

 

Com o desempenho verificado em junho, o segmento industrial mantém sua elevada participação sobre o saldo total de empregos formais criados, no ano, em Mato Grosso do Sul. Para se ter idéia, no primeiro semestre de 2010, as indústrias sul-mato-grossenses geraram 7.268 novos postos formais de trabalho, o que corresponde a 35% do total de novos empregos gerados no Estado. Além disso, com o saldo de 1.335 empregos formais criados no mês de junho, o setor alcançou um estoque total de 107,9 mil postos formais de trabalho em Mato Grosso do Sul, mantendo a parcela de 20% de todo o emprego formal existente no Estado.

 

 

Adicionalmente, o resultado observado em junho, permitiu ao setor industrial de Mato Grosso do Sul alcançar o maior estoque de empregos formais já registrado em toda sua série histórica, superando maio de 2010, que era o maior até então. Indicando, deste modo, que nos últimos quatro meses ocorreram sucessivos recordes no estoque total de empregos no setor industrial. O saldo de novos empregos no segmento industrial, comumente, apresenta uma expansão acelerada até meados do ano, apesar da ocorrência de algumas oscilações de mês para mês.

 

 

Segundo o Radar da Fiems, logo após essa aceleração, o saldo apresenta em seguida uma acomodação nos meses de julho e agosto, voltando a registrar um comportamento crescente nos meses de setembro a novembro, porém com uma intensidade menor que a registrada no primeiro semestre. Por fim, em dezembro, é comum a ocorrência de ajustes adicionais na geração de novos

 

empregos formais no segmento industrial em Mato Grosso do Sul.

 

 

Índice de Evolução

 

 

Em Mato Grosso do Sul, o Índice de Evolução do Emprego Formal nas atividades industriais amplia ainda mais a sua evolução acumulada. Para se ter idéia, o índice no segmento industrial, na posição verificada em junho, foi de 158,0 pontos, indicando um crescimento de 58% sobre o estoque do ano base (2005). Na mesma comparação, o setor de Serviços apresentou um índice de 134,6 pontos e crescimento de 35%, o Comércio com 122,4 pontos (+22%), a Agropecuária com 118,8 pontos (+19%) e Administração Pública com 107,9 pontos (+8%).

 

 

Ou seja, o índice verificado na Indústria apresenta um ritmo de expansão superior ao dos Serviços, Comércio, Agropecuária e Administração Pública em 17%, 29%, 33% e 46%, respectivamente. Em relação à igual mês do ano anterior, o índice de evolução do emprego formal na Indústria, Serviços, Comércio e Agropecuária elevou-se em 5,9%, 5,9%, 5,3% e 3,9%, respectivamente. Já a Administração Pública apresentou uma ligeira redução em seu índice, equivalente a 0,1%. Finalmente, quando a comparação se dá com o mês imediatamente anterior, os setores da Indústria, Serviços e Agropecuária apresentaram as maiores evoluções em seus índices, com expansão de 1,3%, 0,8% e 0,8%, respectivamente.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

EMBOSCADA
Homem é assassinado na frente do filho de seis anos
FAMOSIDADES
Xuxa rompe silêncio sobre Marlene Mattos e traições de Pelé: ‘Me fez coisas muito feias’
ASSALTANTE
Preso confessou que matou a ex em cela da cadeia
DISPUTA ACIRRADA
Nova pesquisa mostra empate técnico entre Haddad e Bolsonaro
SELEÇÃO BRASILEIRA
Gabriel Jesus retorna para a Seleção
LOTERIA
Mega-Sena acumula novamente e pode pagar prêmio de R$ 22 milhões
HORÁRIO DE VERÃO 2018
Horário de Verão pode ser extinto em todo território nacional
EDUCAÇÃO
‘Desejo continuar com a minha profissão, mas temo pela minha vida’, diz professor agredido em aula
SOB INVESTIGAÇÃO
Jovem é encontrada morta dentro do quarto e esposo está desaparecido
MORTE NO DETRAN
Jovem sofre parada cardíaca durante prova para tirar CNH