Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CONTAINER
Brasil

Inadimplência no comércio cresce 3,73% em um ano

9 Set 2010 - 17h08Por Agência Brasil

A taxa de inadimplência cresceu 3,73% em agosto em relação ao mesmo mês de 2009. A informação foi divulgada hoje (9) pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e Serviço Nacional de Proteção ao Crédito (SPC).

Segundo o presidente do CNDL, Roque Pelizzaro Junior, o crescimento no período é decorrente do aumento do crédito e da ampliação dos prazos de pagamento, logo após a crise econômica.

“O crédito pode ter efeito ambíguo. Falta planejamento do consumidor, mas a balança ainda está bem equilibrada”, destacou.

Na passagem de julho para agosto deste ano, houve queda de 2,13% na inadimplência. No acumulado do ano (de janeiro a agosto), a queda foi de 1,96% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Segundo a CNDL, também ocorreu um aquecimento na atividade do comércio, uma vez que as consultas ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), feitas quando o cliente compra a prazo ou com cheque, subiram 5,5% em agosto em relação a julho. A alta é ainda maior na comparação de agosto com o mesmo mês do ano passado, de 9,35%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico