Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 22 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Greve do MTE corta atendimento pela metade

20 Ago 2010 - 14h38Por

A greve dos servidores do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) de Dourados, já cortou os atendimentos pela metade. São emissões de carteira de trabalho, cálculos trabalhistas, homologações de documentos, entre vários outros serviços administrativos que vão ser destinados a 50% da demanda diária.

A oficialização da greve aconteceu ontem durante ato público em frente a sede do MTE. Foram distribuídos panfletos, espalhadas faixas com informações sobre a paralisação e entregues bananas, em protesto contra o governo. A greve, que é por tempo indeterminado, já conta com 21 estados.

Nacionalmente a categoria busca condições de trabalho e de atendimento à população além da implantação imediata de plano de carreira específico.

De acordo com líder do comando de greve de Dourados, Lucas Pascoali, desde ontem o número de atendimentos foi reduzido. São emissões de carteira de trabalho, cálculos trabalhistas, homologações de documentos, entre vários outros serviços administrativos que vão ser destinados a 50% da demanda diária.

“Apesar de uma liminar na justiça obrigar o atendimento parcial somente da carteira e seguro, decidimos atender parte da demanda dos demais serviços, também”, conta.

A medida foi aprovada, na última terça-feira, durante assembléia com os servidores administrativos. Com a decisão, dos quase 200 atendimentos diários a agência passará a atender pouco mais de 80, através de senhas. Quando o número for alcançado, os atendimentos param até o dia seguinte. O movimento recebe o nome de “O Ministério Público Agoniza”.

Em Dourados a retomada da greve, que acontece desde o ano passado, foi justificada pela frustração dos servidores diante da suposta falta de negociação por parte do governo.

Em dezembro do ano passado foi aprovada a suspensão da greve, que já durava 40 dias em razão de acordo com o governo. O compromisso firmado foi discutir um plano de carreira específico para o setor, seguindo um calendário de reuniões que terminaria em 22 de fevereiro deste ano.

No entanto, o governo estendeu os encontros até março. Segundo a categoria, após sucessivas reuniões o Ministério do Planejamento disse que não haveria negociação. Foi a gota dágua para os servidores decidirem pela retomada da greve.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Aposentadoria é para viver, não para receber só à beira da morte
CHANTAGEM
Ladrões invadem estabelecimentos, obrigam funcionárias a tirarem a roupa, filmam e extorquem vítimas
FORAGIDO
Atirador invade escritório de advocacia e mata duas pessoas
BBB 19
Rízia chora por estar acorrentada: 'Vontade de desistir'
LARANJADA
Deputados do PSOL distribuem laranjas na chegada de Bolsonaro à Câmara
AMOR A PROFISSÃO
Pedreira caprichosa viraliza com trabalho detalhista e ganha novos clientes
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
O Boticário apresenta Quasar Brave, venha conferir no O Boticário em Fátima do Sul
SUPERAÇÃO
Jovem que morou 5 anos nas ruas se forma em Direito