Menu
SADER_FULL
quinta, 20 de setembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Figo diz "adeus" à seleção de Portugal

18 Ago 2004 - 14h19

O meia-atacante português Luís Figo anunciou nesta quarta-feira que não pretende mais disputar jogos oficiais pela seleção portuguesa de futebol.

Em comunicado veiculado pelo site da Federação Portuguesa de Futebol, nesta quarta-feira, ele comunica a sua opção, mesmo que não seja totalmente definitiva.

Segundo o jogador, "chegou o momento de fazer uma pausa. Não sei, ainda, dizer se para sempre - porque nunca recusei servir o meu País e porque ninguém pode prever o futuro", diz.

Abaixo, a reprodução na íntegra da carta de "despedida" do jogador:

"Caros Amigos,

Há momentos na vida em que todos nós somos obrigados a fazer opções. Algumas mais fáceis que outras. Esta, por razões que são óbvias, é-me particularmente difícil.

Ao longo de 15 anos ao serviço das várias Selecções Nacionais foram muitas as experiências e as alegrias que vivi. Estou extremamente feliz por esse percurso, no qual cresci e me formei como pessoa e como profissional de futebol. Foram muitos estágios, muitos momentos de trabalho, de confraternização, de emoções fortes, de alegrias e também de algumas tristezas; momentos que me ajudaram a ponderar.

Para além do êxito de Portugal, em termos organizativos, no recente Euro-2004 e que a todos encheu de orgulho, vimos surgir um novo grupo de futebolistas, capaz de garantir a continuidade do nível alcançado pelo futebol português na última década.

Penso, porém, que chegou o momento de fazer uma pausa. Não sei, ainda, dizer se para sempre - porque nunca recusei servir o meu País e porque ninguém pode prever o futuro! -, mas, neste momento sinto necessidade de parar. Esta é a expressão do meu sentimento.

Continuarei a apoiar, a sofrer e a desejar sempre o melhor para a minha, acho que a posso denominar assim, Selecção Nacional! Serei sempre um incondicional, quer nos bons quer, principalmente, nos momentos mais difíceis. Aliás, direi mesmo que vou manter-me «presente» e disponível para ajudar a Selecção Nacional sempre que a isso seja solicitado e sempre que entenderem que a minha presença representa uma «mais valia» indispensável.

Nesta hora de pausa, e sem prejuízo do que o futuro possa vir a reservar-me, permitam-me que dedique, nestas poucas linhas, uma palavra de sentido agradecimento a todos aqueles que sempre estiveram ao meu lado:

Primeiro, à minha família, pelo apoio incondicional ao longo de todos estes anos. Sem ela teria sido impossível estar de alma e coração, tantos anos, ao serviço das Selecções nacionais;

Ao público, pelo seu carinho;

A todos os meus companheiros com quem partilhei tantas emoções. Eles são o que de melhor existe nas Selecções Nacionais e sem os quais não teriam sido possíveis os triunfos que alcançámos;

Ao Presidente da Federação Portuguesa de Futebol, aos treinadores, aos médicos, aos massagistas e ao pessoal ligado à Federação, que trabalham para que nada falte aos jogadores; uma menção especial ao Senhor Carlos Godinho, companheiro de todos estes anos de Selecção.

A todos, o meu profundo agradecimento, pela dedicação, esforço, carinho e amizade que me dedicaram.

Desejando sempre o melhor para o meu País.

Até sempre

Luís Figo"

 

Terra

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
‘Desejo continuar com a minha profissão, mas temo pela minha vida’, diz professor agredido em aula
SOB INVESTIGAÇÃO
Jovem é encontrada morta dentro do quarto e esposo está desaparecido
MORTE NO DETRAN
Jovem sofre parada cardíaca durante prova para tirar CNH
REALITY SHOW
‘A fazenda’: conheça os 16 participantes da nova edição
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Laureta é presa por causa de armação de Luzia
REALITY SHOW
“A Fazenda 10”: Gabi Prado passa mal e Nadja vira alvo dos participantes
SURRA
Video: Homem faz proposta sexual e é agredido de cinta no meio da rua
REALITY SHOW
Em 1ª dia de 'A Fazenda', Ana Paula ganha carro e vira meme
ABANDONO
Dois dias sem comer: irmãos de 2 e 4 anos são encontrados sozinhos em casa
PESQUISA ELEITORAL
Ibope: Haddad cresce em todos os segmentos; Bolsonaro só entre os mais ricos