Menu
SADER_FULL
sexta, 22 de março de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Fiesp constata aumento do consumo no mercado interno

18 Set 2004 - 07h37
As exportações continuam impulsionando a geração de empregos na indústria paulista, mas o aumento do consumo no mercado interno também é um fator de destaque, conforme avaliação do diretor do Departamento de Pesquisa e Estudos Econômicos da Fiesp (Depecon), Cláudio Vaz, durante a divulgação dos resultados do nível de emprego industrial paulista em agosto.

“A exportação teve um papel predominante. As exportações de produtos industrializados, no acumulado de janeiro a agosto, cresceram praticamente 40%. Ela foi o grande motor dessa fase de crescimento e também do crescimento do emprego”, afirmou.

Vaz disse que o consumo no mercado interno dos bens duráveis aumentou desde o início do ano. “Um crédito um pouco mais barato e mais alongado permitiu o consumo de veículos, celulares, televisores, geladeiras e DVD’s em boa proporção”, disse.

Segundo o diretor da Fiesp, alguns segmentos da indústria paulista já estão priorizando o mercado interno. “O setor siderúrgico poderia estar exportando mais e começa a dar uma prioridade ao mercado interno. Também alguns bens de consumo, especialmente celulares, que foram surpreendidos por um crescimento que, já se fala, pode ser até próximo de 80% neste ano. Nesse caso, os contratos de exportação não estão mais crescendo e vem sendo dado um atendimento prioritário ao mercado interno”, afirmou.

O atendimento ao mercado interno, de acordo com Vaz, não ameaça o equilíbrio da balança comercial (diferença entre exportações e importações), “simplesmente mostra que os setores industriais, mesmo aqueles que têm alto grau de utilização, sabem que o mercado interno é sua base de referência. Quem perde cota de mercado no mercado interno depois tem uma imensa dificuldade de recuperá-la. Não é nenhum tipo de valor tão expressivo que possa colocar em risco a exportação ou o saldo da balança comercial”.

Vaz informou que a indústria paulista está mais otimista do que nos anos anteriores, porque este ano não foi afetada por turbulências na economia: “Não podemos esquecer um 2001 marcado primeiro pelo ‘apagão’ e depois pelo (ataque de) 11 de setembro; um 2002 que foi um ano de transição política, quando vivemos momentos muito instáveis na economia, e um 2003 que, até julho, foi marcado por uma política de juros extremamente altos e de forte restrição ao consumo”.
 
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

JARDIM - MS - TRILHA SUBMERSA
Chuvas mais uma vez deixa a Trilha do Recanto Ecológico Rio da Prata submersa, ASSISTA
CRIATIVIDADE
Mulher consegue emprego após 5 horas no semáforo com cartaz
BONITO - MS - PACOTE DE PÁSCOA
Que tal curtir o feriado de Páscoa em Bonito MS?, confira o pacote especial do Águas de Bonito
TERROR NA ESCOLA
Homem é morto a tiros enquanto buscava filho na escola
TARADÃO
‘Peladão’ aterroriza mulheres em bairro nobre
MUNDO MEDONHO
Apaixonada pelo genro, sogra rouba nudes dele no celular da filha
QUEIMOU
Mulher queima partes íntimas do marido ao descobrir que ele abusava da filha – Veja VÍDEO
ASSALTANTES
Ônibus de turismo é parado a tiros por ladrões. Motorista foi baleado
SOFRE BULLYING
Estudante posta foto com pistolas e ameaça invadir escola
DROGAS
Mulher morre após cinco horas de sexo sem interrupção