Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 18 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Fiesp constata aumento do consumo no mercado interno

18 Set 2004 - 07h37
As exportações continuam impulsionando a geração de empregos na indústria paulista, mas o aumento do consumo no mercado interno também é um fator de destaque, conforme avaliação do diretor do Departamento de Pesquisa e Estudos Econômicos da Fiesp (Depecon), Cláudio Vaz, durante a divulgação dos resultados do nível de emprego industrial paulista em agosto.

“A exportação teve um papel predominante. As exportações de produtos industrializados, no acumulado de janeiro a agosto, cresceram praticamente 40%. Ela foi o grande motor dessa fase de crescimento e também do crescimento do emprego”, afirmou.

Vaz disse que o consumo no mercado interno dos bens duráveis aumentou desde o início do ano. “Um crédito um pouco mais barato e mais alongado permitiu o consumo de veículos, celulares, televisores, geladeiras e DVD’s em boa proporção”, disse.

Segundo o diretor da Fiesp, alguns segmentos da indústria paulista já estão priorizando o mercado interno. “O setor siderúrgico poderia estar exportando mais e começa a dar uma prioridade ao mercado interno. Também alguns bens de consumo, especialmente celulares, que foram surpreendidos por um crescimento que, já se fala, pode ser até próximo de 80% neste ano. Nesse caso, os contratos de exportação não estão mais crescendo e vem sendo dado um atendimento prioritário ao mercado interno”, afirmou.

O atendimento ao mercado interno, de acordo com Vaz, não ameaça o equilíbrio da balança comercial (diferença entre exportações e importações), “simplesmente mostra que os setores industriais, mesmo aqueles que têm alto grau de utilização, sabem que o mercado interno é sua base de referência. Quem perde cota de mercado no mercado interno depois tem uma imensa dificuldade de recuperá-la. Não é nenhum tipo de valor tão expressivo que possa colocar em risco a exportação ou o saldo da balança comercial”.

Vaz informou que a indústria paulista está mais otimista do que nos anos anteriores, porque este ano não foi afetada por turbulências na economia: “Não podemos esquecer um 2001 marcado primeiro pelo ‘apagão’ e depois pelo (ataque de) 11 de setembro; um 2002 que foi um ano de transição política, quando vivemos momentos muito instáveis na economia, e um 2003 que, até julho, foi marcado por uma política de juros extremamente altos e de forte restrição ao consumo”.
 
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado
INSPIRAÇÃO
Idoso se forma em Direito aos 94 anos, após morte da esposa
POLEMICA
Movimento Gay quer tirar Bíblia de circulação no Brasil, diz Damares
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem atira em esposa e se mata com granada
SUPERAÇÃO
Pedreiro cadeirante enfrenta difilculdades e sustenta a família trabalhando em obras
GASES MORTAIS
Homem morre após segurar peidos na casa da namorada
REALITY SHOW
'BBB 19': Danrley diz ser virgem, e irmã brinca: 'Nem no signo'