Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 21 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Ensino profissionalizante cresceu 14% em 2004

6 Out 2004 - 14h00
 

Dados preliminares do Censo Escolar 2004, divulgados hoje, mostram que os jovens estão optando por entrar cada vez mais cedo no mercado de trabalho. Conforme os números levantados pelo Ministério da Educação (MEC), o crescimento das matrículas no ensino médio cresceram apenas 1% contra 14% no ensino profissionalizante.

De acordo com o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC), Eliezer Pacheco, a situação econômica do País faz com que os jovens prefiram se matricular em cursos voltados para o mercado de trabalho e não para o vestibular. "Há uma pressão no sentido de uma mão-de-obra mais qualificada" afirmou Pacheco.

Pacheco também apontou o crescimento dos cursos supletivo como fator para o esvaziamento do ensino médio, que vinha se expandidno a taxas mais elevadas nos últimos anos. De acordo com ele, o número de estudantes nos chamados cursos para jovens e adultos subiu 18%.

O Censo Escolar também mostrou que o Brasil tem 55 milhões de estudantes matriculados em todos os níveis de educação básica (ensino infantil, fundamental e médio). Desse total, 88% estão em escolas públicas.

Os dados mostram ainda que houve uma expansão de 7,9% no número de alunos matriculados na educação infantil, que inclui creches e pré-escolas. No ensino fundamental, foi registrada uma queda de 1,2% no número de alunos, que atualmente são cerca de 34 milhões.

Alunos especiais: O Censo Escolar 2004 apresentou um quadro favorável para a inclusão de estudantes portadores de necessidades educacionais especiais em classes comuns. Conforme o MEC, este tipo de matrícula aumentou 12,3% no País, com um total de 566 mil matrículas em 2004.

De acordo com o censo, o aumento do número de alunos especiais em classes comuns aumentou 34,1% em relação ao ano passado, totalizando 194.581 estudantes. Em 1998, a matrícula inclusiva equivalia a 15% do total. Em 2002, esse número subiu para 24%. Já o número dos que freqüentam escolas especializadas ou classes especiais aumentou 3,5%, totalizando 371.442 matrículas.


São consideradas necessidades especiais as deficiências visuais, auditivas, físicas, mentais, múltiplas. Também são especiais os alunos superdotados, portadores de condutas típicas e outras classificações adotadas pelas próprias escolas.

Os números preliminares do Censo Escolar 2004 serão publicados amanhã (7) no Diário Oficial da União. A partir dessa data, as Secretarias de Educação Estaduais, Municipais e do Distrito Federal terão 30 dias para apresentar recursos para a retificação das informações publicadas. Os dados do levantamento servem para subsidiar as políticas educacionais do setor público e a distribuição de recursos para a implementação de projetos. 

 

 

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação