TASS_MOTORS
FatimaNews - Notícias de Fátima do Sul e região
Fátima do Sul, 15 de Dezembro de 2017
DELPHOS_FULL
15 de Outubro de 2004 16h09

Dólar cai 0,55% mas acumula alta de quase 1% na semana

O dólar encerrou a sexta-feira com baixa de 0,55%, a R$ 2,857 na venda. Na semana, porém, a moeda acumulou alta de 0,98%.

Uma das principais preocupações da semana foi a trajetória do preço do petróleo no mercado internacional, que continua subindo e registrando sucessivos recordes.

Os negócios foram prejudicados também durante esta semana pelo feriado nos EUA (Dia de Colombo), na segunda-feira, e no Brasil (Nossa Senhora Aparecida), na terça-feira.

Na segunda-feira, quase todos os mercados funcionaram nos EUA, mas não houve negociação com títulos de dívidas, o que deixou o Brasil sem referência. Com os feriados, há uma queda no volume de negócios.

Para Jorge Kattar, do banco Rabobank, depois de duas altas consecutivas, é normal que o dólar recue. De acordo com ele, o mercado está buscando um novo patamar para a moeda.

Na mínima do dia, o dólar foi negociado hoje a R$ 2,853 (baixa de 0,69%) e, na máxima, a R$ 2,896 (alta de 0,80%).

O discurso do presidente do Fed (Federal Reserve, BC norte-americano) foi considerado "leve" e "otimista" por alguns analistas.

Greenspan disse, entre outras coisas, que a atual disparada nos preços do petróleo terá menos impacto na inflação do que os choques ocorridos nos anos 70.

O executivo destacou que os preços de hoje representam apenas cerca de 60%, em termos reais, do pico atingido em 1981.

Mas, segundo ele, se o petróleo continuar subindo as conseqüências, certamente, serão negativas. "É evidente que os riscos de conseqüências negativas se intensificarão se os preços do petróleo aumentarem de maneira significativa", disse.

Para Greenspan, a economia global irá se ajustar à recente alta do petróleo, por meio do aumento da exploração e produção e com o ganho da eficiência dos combustíveis derivados do petróleo.

Petróleo

O petróleo, no entanto, bateu mais um recorde hoje. O barril do produto cru para entrega em novembro, negociado na Bolsa Mercantil de Nova York, atingiu hoje o recorde absoluto de US$ 55 pouco antes do encerramento da sessão desta sexta-feira.

Ao fechar, o preço cedeu um pouco e ficou em US$ 54,93, alta de 0,31% e novo recorde para um fechamento.
 
Folha Online
Comentários
Veja Também
LOJA_02
FÁBRICA_CALÇADOS
LISTINHA_ONLINE
Últimas Notícias
  
FÁBRICA_CALÇADOS
Eventos
dothCom © Copyright FatimaNews - Todos os Direitos Reservados.