Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 22 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Dilma volta à campanha sem falar sobre aborto

7 Out 2010 - 13h14Por Estadão

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, evitou falar sobre aborto e a crise com parte do eleitorado evangélico em seu primeiro evento de campanha neste segundo turno. Antes de seguir em carreata pelas ruas de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a petista participou de rápida coletiva de imprensa, na qual prometeu investir em saneamento, implantar Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) na área e até reduzir os juros básicos da economia.  

Ao ser questionada sobre a polêmica em relação ao aborto, a petista não respondeu e iniciou a carreata. Dilma obteve ampla vantagem em Caxias no primeiro turno, com 54,38% dos votos válidos. Marina Silva (PV) também obteve boa votação na cidade (27,91%), que tem forte presença de evangélicos. Marina ficou bem à frente de José Serra (PSDB), que, apesar de contar com o apoio do prefeito local, José Camilo Zito (PSDB), e de ter visitado a cidade duas vezes, somou 15,81% dos votos válidos.

Barreiras. Seguindo a orientação dos aliados, Dilma procurou se aproximar dos eleitores. As barreiras que normalmente são colocadas nos locais em que ela dá entrevista foram retiradas. O púlpito, onde são colocados os microfones e gravadores, até foi instalado, mas desapareceu minutos antes de a candidata chegar. A petista, como sugerido pelo seu comando de campanha, aproximou-se dos jornalistas e foi cercada por dezenas de pessoas. Sorridente, cumprimentou eleitores e políticos com beijos e tapinhas nas costas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Aposentadoria é para viver, não para receber só à beira da morte
CHANTAGEM
Ladrões invadem estabelecimentos, obrigam funcionárias a tirarem a roupa, filmam e extorquem vítimas
FORAGIDO
Atirador invade escritório de advocacia e mata duas pessoas
BBB 19
Rízia chora por estar acorrentada: 'Vontade de desistir'
LARANJADA
Deputados do PSOL distribuem laranjas na chegada de Bolsonaro à Câmara