Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 22 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Daiane sente dores no joelho, mas minimiza situação

4 Ago 2004 - 10h00
No primeiro dia de treinos da seleção brasileira de ginástica olímpica na Grécia, um susto para a equipe. A gaúcha Daiane dos Santos deixou o tablado de solo reclamando de dores no joelho direito, que passou por uma operação há seis semanas.

Entretanto, a reclamação foi logo amenizada pela seleção. Responsável pela operação, o médico Mário Namba, que está em Atenas, tratou de negar qualquer receio com o joelho da ginasta.

"Daiane foi operada há cerca de 40 dias e quando força o ritmo, sente um pouco de dor. Cada dia que passa, essa dor diminui, ela é natural e não preocupa", afirmou Namba, que descartou qualquer nova intervenção no local.

O médico já havia afirmado que Daiane sentiria as dores no último treino realizado no Brasil, em 25 de julho. "Ela agora depende do joelho. Vai sentir muitas dores, mas o normal é que se recupere", explicou.

Segundo a supervisora da seleção, Eliane Martins, as reclamações da ginasta são vistas com naturalidade. "Não tem nada demais. A dor que ela sente é muito menor do que as que ela teve antes do Mundial (de Anaheim, em 2003, quando teve uma operação no mesmo joelho também há seis semanas do evento)", disse.

A dirigente fez questão de ressaltar que Daiane sequer realizou exames médicos no local. "Ela não fez exame, nem nada. Está apenas mantendo o mesmo processo de fisioterapia seguido no Brasil", afirmou Eliane. Segundo Namba, a gaúcha fica mais de seis horas diariamente na fisioterapia.

A própria atleta minimizou o caso. "A dor faz parte da rotina de uma atleta", apontou Daiane, que voltará a treinar normalmente nesta quarta-feira, quando a equipe fará o primeiro treinamento no Hall Olímpico Indoor, onde será disputada a competição olímpica da ginástica.

Eliane explicou que as dores foram provocadas pela série completa do solo. "Ela fez a série completa com todos os movimentos. Como não havia feito isso antes, ela se queixou de algumas dores, mas nada demais. É um dor normal", disse.

Segundo a dirigente, as condições do tablado no local de treinamento, um ginásio próximo à Vila Olímpica, também ajudaram no aumento das dores. "O solo é meio duro por ser novo. Isso pode ter doído mais para a Daiane, mas não preocupa a gente", encerrou.

 

Gazeta Esportiva

Deixe seu Comentário

Leia Também

CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação