Menu
SADER_FULL
sábado, 22 de setembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
DR. SHAPE
Brasil

Brasil vence campeonato de robótica no México

4 Nov 2004 - 13h47
O Brasil venceu, pela segunda vez consecutiva, o troféu do campeonato latino-americano de robótica para estudantes. A competição é promovida pelo The Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE).

O objetivo da prova era fazer com que o robô Avatar funcionasse como uma máquina de resgates em Marte e recuperasse tripulantes vivos perdidos no planeta. Os estudantes do Departamento de Automação e Sistemas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) foram os únicos representantes brasileiros nas provas.

O planeta Marte foi representado por uma pista formada por três módulos de madeira com 1,20 cm x 60 cm. Os astronautas perdidos eram pequenas peças. A nave espacial era um círculo vermelho. O robô foi confeccionado com peças de Lego e, à primeira vista, parecia um simples brinquedo. Porém, ele precisava sair da nave espacial, retirar as peças espalhadas pelo caminho e levá-las novamente até a nave.

Os estudantes do curso de Engenharia de Controle e Automação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) já são experts nesse tipo de prova. Até hoje, foram primeiros colocados em todas as competições das quais participaram, e isso inclui o campeonato latino-americano de 2003 e o desafio de robôs Copa André Ramos, em 2002.

Tanto talento e dedicação renderam a eles o que o estudante Christian Silvano chama de respeito. "Não dá para dizer que vamos ganhar tudo, mas com certeza somos respeitados em todas as competições que participamos", destaca Silvano.

Um robô chamado Avatar
O robô Avatar pode parecer simples, mas não é. Equipado com sensores, é capaz de identificar a luminosidade das cores preto e branco. Isso é necessário para que ele consiga se mover na pista (que é branca) e não se perca da sua nave espacial. Ele também tem sensores de toque, utilizados para detectar colisões com outros objetos, e um minicomputador do tipo RCX, totalmente programado pelos estudantes. Fazendo uma analogia com o ser humano, o sensor seria responsável pelos sentidos e o computador pela inteligência da máquina.

De acordo com um dos integrantes da equipe, o estudante Mathias Erdtmann, a principal diferenças entre o Avatar e seus concorrentes foi a robustez. Diferente de outras máquinas, ele é capaz de funcionar independente de perturbações externas: a falta ou o excesso de luz ou mesmo da disposição da pista não interferem em seu desempenho. Neste sentido, eles consideram o aprendizado na aula de Introdução à Engenharia de Controle e Automação indispensável. "Muita gente que estava competindo não tinha noção do que deveria fazer. Conosco foi diferente porque logo no começo do curso tivemos uma disciplina fundamental", afirma o estudante Gustavo Medeiros de Freitas.

A competição
As provas do campeonato latino-americano de robótica ocorreram na Cidade do México, entre os dias 25 e 27 de outubro. Equipes do México, Venezuela, Chile, Colômbia e Argentina disputavam o torneio. Só um grupo representava o Brasil, o da Universidade Federal de Santa Catarina. Maiores informações podem ser obtidas no site www.das.ufsc.br/robota/

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSALTANTE
Preso confessou que matou a ex em cela da cadeia
DISPUTA ACIRRADA
Nova pesquisa mostra empate técnico entre Haddad e Bolsonaro
SELEÇÃO BRASILEIRA
Gabriel Jesus retorna para a Seleção
LOTERIA
Mega-Sena acumula novamente e pode pagar prêmio de R$ 22 milhões
HORÁRIO DE VERÃO 2018
Horário de Verão pode ser extinto em todo território nacional
EDUCAÇÃO
‘Desejo continuar com a minha profissão, mas temo pela minha vida’, diz professor agredido em aula
SOB INVESTIGAÇÃO
Jovem é encontrada morta dentro do quarto e esposo está desaparecido
MORTE NO DETRAN
Jovem sofre parada cardíaca durante prova para tirar CNH
REALITY SHOW
‘A fazenda’: conheça os 16 participantes da nova edição
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Laureta é presa por causa de armação de Luzia