Menu
SADER_FULL
quarta, 20 de junho de 2018
PASSARELA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Brasil mexe no calendário das próximas Copas

19 Jul 2004 - 13h16
O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, aproveitou sua vinda ao Peru para dar uma demonstração de poder. Respaldado pelas associações argentinas e uruguaias, o brasileiro pressionou as demais associações sul-americanas e conseguiu uma vitória importante. A próxima Copa América acontecerá em 2007, antes das Eliminatórias para o Mundial de 2010. E a partir daí, de quatro em quatro anos.

“Não tem cabimento Copa América de dois em dois anos. E em plena Eliminatória. Isso não acontecerá mais”, prometeu, e cumpriu, Ricardo Teixeira em Arequipa.

Segundo jornalistas peruanos que estiveram na abertura da Copa América, Ricardo Teixeira bateu pesado com as pequenas associações que desejavam a manutenção da Copa América bienal.

Teixeira estaria à frente de uma tríplice aliança que travaria o torneio. Brasil, Argentina e Uruguai não disputariam mais a competição sul-americana se ela não passasse a ocorrer de quatro em quatro anos.

Os presidentes das pequenas associações perceberam que não tinham como fazer um torneio sem os poderosos do continente. E cederam.

“A Eurocopa em Portugal foi tão badalada porque havia quatro anos de ansiedade. Os portugueses trabalharam para remodelar seus principais estádios de forma tranqüila. O torneio foi bem promovido e o resultado foi excelente. Fora o fato de que as Eliminatórias européias irão começar na verdade só depois da Eurocopa. A América do Sul tem de seguir o mesmo exemplo”, disse Ricardo Teixeira.

“A competição será sensacional porque os verdadeiros craques do mundo estão aqui, no nosso continente. A Copa América tem tudo para ser o torneio mais importante depois do Mundial.”

O presidente da Conmebol, o paraguaio Nicholas Léoz, não toma uma decisão sem consultar Teixeira. Ele sabe do poder econômico que o presidente da CBF tem por trás. A Copa América é uma propriedade da Traffic, de J. Hawilla, empresário e amigo íntimo de Teixeira. O dirigente também mantém contrato da Seleção Brasileira com a influente TV Globo.

A figura de Teixeira tem sido tão importante, que ele está servindo como consultor de uma delicada questão. Políticos mexicanos decidiram investir milhões de dólares para tirar a Copa América de 2007 da Venezuela. Mas a situação não se mostra tão fácil. Os venezuelanos, embora mais pobres, não querem abrir mão do torneio. Os dois lados têm consultado o presidente da CBF a todo instante.

Em várias conversas com Leóz, Teixeira está muito perto de conseguir que a Copa América de 2011 aconteça no Brasil. Seria um laboratório para o Mundial que o País pretende promover em 2014.

Se for mesmo aprovado o Brasil como sede de 2011, o presidente começará a promover reformas nos principais estádios do Brasil.

O primeiro, que é a sua fixação, é o Maracanã. A tendência de imitar Wembley e implodir o ultrapassado estádio carioca e construir um novo não está afastada. Só é necessária uma delicada operação de convencimento da opinião pública e manobra política.

 

 

Estadão

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Terceiro homem que assediou russa na Copa diz que “estão transformando um copo d’água em uma tempestade”
‘Alta Pressão’
Exército deflagra Operação para fiscalizar armamento e reduzir desvios para o comércio ilegal
COLÉGIO DELPHOS - BOLSAS DE ESTUDOS
Colégio Delphos Nota 10 oferece provas para bolsas de estudos neste sábado em Dourados
UNIPAR - EAD - DOURADOS
Unipar EAD com pós-graduação e 25 cursos a distância com mensalidade acessíveis agora em Dourados
PENSÃO ALIMENTÍCIA
Genro de Silvio Santos é procurado por Policia Federal após mandado de prisão
APOCALIPSE
Arthur (Junno Andrade) fala na TV do ataque ao navio de fugitivos e das consequências da erupção de
POLÊMICA
Projeto quer liberar venda direta de etanol das usinas aos postos
FÁTIMA DO SUL - ESTRUTURA NOVA
Fátima do Sul terá um novo conceito de lojas Cacau Show, AGUARDEM!!!
DOURADOS - ITALÍNEA MÓVEIS PLANEJADOS
Em Dourados, Italínea Móveis Planejados dá dicas para deixar sua casa pronta para o inverno
APOCALIPSE
Ricardo (Sérgio Marone) autoriza que um navio de fugitivos seja bombardeado