Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 13 de dezembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Aumenta o uso de armas de fogo na prática de homicídio

16 Jul 2010 - 16h55Por MS Notícias

Pesquisas revelam como principal preocupação da sociedade brasileira, o uso de armas de fogo na prática de homicídios cresce a cada dia é o que consta o Estatuto do Desarmamento. Algumas partes do Brasil possuem taxas de homicídios praticados com o uso de armas que beiram às de países em guerra.

Em 2008 praticou-se uma média de 95 homicídios com armas de fogo por dia. As informações são do presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski. Um levantamento da entidade aponta que de 1996 a 2008, o uso de armas na prática de homicídios cresceu 12%. Em 1996, 59,1% dos 38.894 homicídios registrados foram causados por armas. Em 2008, essa proporção representou 71,3% - 34.678 - das mais de 48 mil mortes ocorridas. 

Esses dados mostram que o uso de armas ganha cada vez mais espaço no mundo do crime. A partir de 2003, a cada 10 mortes, sete foram causadas por arma de fogo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Aranha descobre marca de pata de gato de Gabriel, tira foto e conta aos guardiã
SUSTO
Celular pega fogo no bolso da calça e deixa homem com queimaduras na perna e mãos
PROCURADO
Com prisão decretada desde setembro, Dado Dolabella é considerado foragido da Justiça
DICAS DE MARKETING
5 dicas de marketing para um negócio de dropshipping
CRIME HEDIONDO
Câmera flagra ataque de suspeito de estuprar garota de 14 anos em SP; vídeo
TERROR
Ataque dentro da Catedral deixa ao menos cinco mortos em Campinas
REVIDE
Passageiro atropelado por motorista de aplicativo após vomitar em carro está em coma
A SERVIÇO DE DEUS
Angela Bismarchi festeja diploma para ser pastora: ‘Eu era pecadora e não sabia’
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Luz dá caixa com terra de cova de Gabriel para Valentina
INTOCÁVEL
PF pediu prisão domiciliar de Aécio, Cristiane Brasil e Paulinho da Força, mas PGR e STF não concede