Menu
SADER_FULL
segunda, 20 de agosto de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Apreendidos na fronteira mais R$ 50,6 mil em notas falsas

15 Jul 2004 - 07h51
 

A Polícia brasileira apreendeu ontem mais R$ 50,6 mil em notas falsas na região da fronteira do Brasil com o Paraguai, confirmando as suspeitas de que as cidades de Ponta Porã (MS) e Foz de Iguaçu (PR) são as portas de entrada de reais falsificados produzido em Pedro Juan Caballero, no Paraguai. Conforme as autoridades brasileiras, desde o início do ano está sendo investigada uma base de falsificadores da moeda do Brasil em território paraguaio.

Em junho, a Polícia de Mato Grosso conseguiu identificar que a cidade de Ponta Porã é a rota usada pelos falsificadores de cédulas que abastecem a Região Centro-Oeste. De acordo com ela, o material é impresso em Pedro Juan Caballero, na divisa entre os dois países, e introduzido no Brasil através de Ponta Porã de onde em Mato Grosso passando pela BR-163, sendo que em alguns casos o dinheiro é enviado pelo Correio.

O caminho percorrido pelas cédulas, antes de chegar no comércio, começa no Paraguai, em laboratórios de falsificação. Na maioria das vezes, a fabricação das notas é feita com impressoras off-set, por meio de programas de computador que produzem cédulas semelhantes às verdadeiras. Depois de pronto, o material entra no País geralmente pela fronteira com Mato Grosso do Sul por meio de receptadores brasileiros.

Outro método utilizado é a lavagem química, sendo que as quadrilhas aplicam produtos e “lavam” notas de R$ 1,00 deixando o papel branco, sendo que depois imprimem notas de valores mais altos em cima do papel moeda. A falsificação mais freqüente é a de notas de R$ 50,00, já que a de R$ 100,00 gera mais desconfiança e a de R$ 10,00 tem valor baixo, além de ser de plástico, o que dificulta a cópia.

As investigações também apontam que a quadrilha vende cada nota por um terço de seu valor. Na apreensão de ontem as 1.013 notas falsas estavam com paraguaio Julio César Aranda, 26 anos, natural de Pedro Juan Caballero, e que era passageiro de um ônibus que partiu de Foz do Iguaçu com destino a Campinas (SP). Ele informou aos policiais brasileiros que foi contratado em Pedro Juan para transportar as notas falsas até Sorocaba (SP) e que receberia R$ 1 mil pelo trabalho. Com informações do jornal ABC Color.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSIDADE - SUSPIROS
Sem calcinha, Juju Salimeni compartilha foto ousada
VICENTINA - ALMOÇO NO PESQUEIRO
Confira o cardápio do delicioso almoço neste domingo no Pesqueiro 7 Bello em VICENTINA
CRIME PASSIONAL
Marido flagra esposa com suposto amante e caso termina em morte
NOVELA GLOBAL
Remy pode não ter morrido em 'Segundo sol'; veja os indícios
TECNOLOGIA
Segunda via do RG pode ser solicitada pela internet
BOA AÇÃO
Empresário curado faz doação milionária para hospital público
VIOLENCIA
Homem desce do carro e mata mulher com tiro a queima roupa
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Laureta confessa que matou Remy; Karola foi cúmplice
PRESO EM 2010
Morre o homem apontado como maior contrabandista de cigarros do País
ELEIÇÕES 2018 - REGISTRO FEITO
AGORA: PT registra candidatura de Lula e tem até 17 de setembro para trocar candidato