Menu
LIMIT ACADEMIA
terça, 25 de junho de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

André chama Tetila para solucionar crise de hospital

9 Jul 2007 - 04h40
O governador André Puccinelli (PMDB) e o prefeito de Dourados, Laerte Tetila (PT), se reúnem hoje às 9h, em Campo Grande, para discutir uma solução para a crise envolvendo o município e o Hospital Evangélico. No dia 28 de junho, o hospital obteve na Justiça o direito de suspender, em 120 dias, o atendimento pelo SUS (Sistema Único de Saúde) por reclamar de defasagem na verba repassada pela prefeitura.

Ontem de manhã em Fátima do Sul, Puccinelli afirmou ao Diário MS que hoje é a última chance de se estabelecer um acordo e ameaçou impor sanções à prefeitura por não cumprir o papel de gestor pleno na área de saúde. O governador foi a Fátima do Sul para assistir ao desfile em homenagem aos 44 anos do município (leia reportagem sobre o aniversário da cidadã na capa do Caderno Região).

“Vamos resolver o problema, apesar de a obrigação ser da Prefeitura de Dourados, que assim como outros sete municípios do Estado tem gestão plena na área de saúde e recebe recursos diretos do Ministério da Saúde”, afirmou o governador em entrevista exclusiva ao Diário MS. “É bom que se diga que a obrigação é da Prefeitura de Dourados”, repetiu.

André contou que na primeira reunião sobre a crise dos hospitais de Dourados (Evangélico e Hospital Universitário), realizada em maio, o governo se dispôs a repassar R$ 150 mil mensais ao HU e uma ajuda mensal de R$ 100 mil ao Hospital Evangélico. “Embora a responsabilidade seja da prefeitura, entendemos que devemos fazer parceria e propomos ajudar, a pedido do deputado federal Geraldo Resende, do deputado estadual José Teixeira e do senador Valter Pereira”, afirmou.

BRIGA BOBA

André disse que apesar da ajuda oferecida pelo Estado, o acordo não foi fechado devido a uma “briga boba” do Hospital Evangélico com a prefeitura. “Tem um imbróglio entre o Evangélico e a municipalidade. Não sei quem tem razão, mas é possível resolver”, declarou.

André informou que, além de Tetila, foram chamados para a reunião de hoje o secretário municipal de Saúde, João Paulo Esteves, o superintendente do Hospital Evangélico, Paulo Nogueira, a diretora do Hospital Universitário, Dinaci Ranzi, e os parlamentares que representam o município na Assembléia e na Câmara dos Deputados. O secretário municipal de Governo, Wilson Biasotto, confirmou que a reunião com do prefeito com o governador está agendada para hoje às 11h.

Em vários momentos da entrevista, o governador reafirmou que a responsabilidade é do município, que recebe recursos do Tesouro do Estado através da contratualização para investir na saúde. André disse que vai cobrar da prefeitura o compromisso firmado com o hospital e reafirmar ao Evangélico que o Estado garante a verba prometida.

“Se assim não ocorrer [fechamento do acordo na reunião de hoje], irei a Dourados e chancelarei as sanções a quem de direito; ao gestor pleno que não cumpre suas obrigações, se constatarmos isso, ou aos hospitais, que aceitam fazer [prestar os serviços] e não cumprem”, prometeu André Puccinelli.
 
 
 
 
Diário MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

MONSTRUOSIDADE
Bebê de 9 meses é estuprado e espancado até a morte
QUADRO ESTÁVEL
Após acidente e cirurgia às pressas, Filho de Huck e Angélica deixa UTI
CIGARREIRO
Homem morre após capotar carro carregado com cigarros
ASSÉDIO SEXUAL
Dany Bananinha sofre assédio em praia do Rio e impede nova vitima: 'Me tremi toda'
EMOÇÃO DEMAIS
Idoso passa mal e morre em palco ao ganhar carro em sorteio
MÚSICA
Marilia Mendonça recorda foto de antes da fama com Cristiano Araújo: 'Saudade'
INFANTICIDIO
Mãe de garotinha morta em Arapongas apanha na cadeia e confirma abusos e agressões – OUÇA ÁUDIO
MORTE ABSURDA
Mulher é morta a tiros após briga por levar bolo e não salgado a festa
AFOGAMENTO
Criança de 8 anos morre afogada ao cair em represa de pesqueiro
CAMPEÃ DO MUNDO FUTSAL
Não deu na Copa, mas deu no Futsal: Campeãs mundiais