Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 23 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

André chama Tetila para solucionar crise de hospital

9 Jul 2007 - 04h40
O governador André Puccinelli (PMDB) e o prefeito de Dourados, Laerte Tetila (PT), se reúnem hoje às 9h, em Campo Grande, para discutir uma solução para a crise envolvendo o município e o Hospital Evangélico. No dia 28 de junho, o hospital obteve na Justiça o direito de suspender, em 120 dias, o atendimento pelo SUS (Sistema Único de Saúde) por reclamar de defasagem na verba repassada pela prefeitura.

Ontem de manhã em Fátima do Sul, Puccinelli afirmou ao Diário MS que hoje é a última chance de se estabelecer um acordo e ameaçou impor sanções à prefeitura por não cumprir o papel de gestor pleno na área de saúde. O governador foi a Fátima do Sul para assistir ao desfile em homenagem aos 44 anos do município (leia reportagem sobre o aniversário da cidadã na capa do Caderno Região).

“Vamos resolver o problema, apesar de a obrigação ser da Prefeitura de Dourados, que assim como outros sete municípios do Estado tem gestão plena na área de saúde e recebe recursos diretos do Ministério da Saúde”, afirmou o governador em entrevista exclusiva ao Diário MS. “É bom que se diga que a obrigação é da Prefeitura de Dourados”, repetiu.

André contou que na primeira reunião sobre a crise dos hospitais de Dourados (Evangélico e Hospital Universitário), realizada em maio, o governo se dispôs a repassar R$ 150 mil mensais ao HU e uma ajuda mensal de R$ 100 mil ao Hospital Evangélico. “Embora a responsabilidade seja da prefeitura, entendemos que devemos fazer parceria e propomos ajudar, a pedido do deputado federal Geraldo Resende, do deputado estadual José Teixeira e do senador Valter Pereira”, afirmou.

BRIGA BOBA

André disse que apesar da ajuda oferecida pelo Estado, o acordo não foi fechado devido a uma “briga boba” do Hospital Evangélico com a prefeitura. “Tem um imbróglio entre o Evangélico e a municipalidade. Não sei quem tem razão, mas é possível resolver”, declarou.

André informou que, além de Tetila, foram chamados para a reunião de hoje o secretário municipal de Saúde, João Paulo Esteves, o superintendente do Hospital Evangélico, Paulo Nogueira, a diretora do Hospital Universitário, Dinaci Ranzi, e os parlamentares que representam o município na Assembléia e na Câmara dos Deputados. O secretário municipal de Governo, Wilson Biasotto, confirmou que a reunião com do prefeito com o governador está agendada para hoje às 11h.

Em vários momentos da entrevista, o governador reafirmou que a responsabilidade é do município, que recebe recursos do Tesouro do Estado através da contratualização para investir na saúde. André disse que vai cobrar da prefeitura o compromisso firmado com o hospital e reafirmar ao Evangélico que o Estado garante a verba prometida.

“Se assim não ocorrer [fechamento do acordo na reunião de hoje], irei a Dourados e chancelarei as sanções a quem de direito; ao gestor pleno que não cumpre suas obrigações, se constatarmos isso, ou aos hospitais, que aceitam fazer [prestar os serviços] e não cumprem”, prometeu André Puccinelli.
 
 
 
 
Diário MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho